A greve geral dessa sexta-feira (13), que promete afetar diversos setores na Grande Curitiba, também influencia na educação, com a possível paralisação de escolas municipais, estaduais, das universidades públicas e particulares. Apesar de a adesão ser grande, conforme afirmam os sindicatos das categorias, ainda não é possível afirmar quais escolas e faculdades não terão aulas. Assim, a recomendação é que os alunos, ou seus responsáveis, procurem as instituições para conferir cada caso.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

No caso das escolas municipais, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) afirma que a adesão será em massa, mas não há determinação sobre quantas escolas devem parar e quantas estarão funcionando.

As entidades estaduais também devem ser afetadas em larga escala. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), a orientação é que os trabalhadores sigam para os eventos programados pelos sindicatos e os alunos permaneçam em suas casas.

Professoras e professores de escolas e universidades particulares também devem aderir à paralisação, conforme confirmou a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE).

+ Bancários aderem à greve geral e bancos podem fechar nesta sexta

Quem, com certeza, estarão paradas são as universidades federais – UFPR e UTFPR, além do Hospital de Clínicas, que manterá apenas 30% de seu serviço em funcionamento.

Motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba não entram na greve de sexta-feira