A determinação de que só passageiros sentados poderiam circular nos ônibus de Curitiba durou só um dia. Quinta-feira (2), a prefeitura mudou novamente o decreto municipal para conter o avanço da covid-19 e a partir desta sexta-feira (3) volta a determinação de que os ônibus devem circular com 50% da capacidade de passageiros. O novo decreto municipal tem medidas mais rígidas, como a proibição de abertura de serviços não essenciais como comércio, restaurantes, bares e shoppings.

Na nota publicada no site, a prefeitura se limitou apenas a dizer que a alteração é para seguir o decreto estadual. “Com a alteração das regras pelo governo do estado, a prefeitura de Curitiba optou por manter inalterada a regra anterior que estava em vigor na capital. Mais rígida que a do governo estadual, ela prevê que os ônibus do transporte coletivo só possam circular com 50% da capacidade de lotação”, afirma a nota. Pelo decreto estadual, os ônibus devem circular com 65% de lotação.

VIU ESSA? – “Um dia triste pra nós”, diz secretária ao anunciar recorde de 15 mortes por covid-19 em Curitiba

Com a volta da obrigatoriedade de circular com metade da capacidade de passageiros, a Urbs, empresa municipal que gerencia o transporte coletivo, explica que os motoristas não devem parar para embarque em estações-tubo ou pontos se o veículo já estiver com metade da capacidade ocupada. Nos terminais, as linhas maiores só podem iniciar viagem com no máximo 30% de ocupação.

Funcionários de hospitais e clínicas seguem com prioridade de embarque na pandemia. Além disso, esses profissionais também podem circular pela Linha Expresso Exclusivo Saúde, que entrou em circulação segunda-feira (29). Exclusiva para passageiros do setor de saúde, a linha tem dois horários de embarque no terminal do Pinheirinho às 6h e 7h e dois na Praça Rui Barbosa, às 18h20 e 19h20.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?