O projeto , da startup curitibana Prevention, passou pela sabatina do programa Shark Tank Brasil. O reality show tem cinco empresários que acatam e financiam projetos por meio de uma parceria. O Adam Robo é um equipamento que oferece exames de visão mais precisos por conta de sua inteligência artificial.

Os responsáveis pelo projeto apresentaram os benefícios do Adam Robo e conseguiram uma proposta de compra de 15% da empresa pelo valor de R$ 200 mil. Com o acordo, a startup incorporou três novos sócios: Robinson Shiba, dono dos restaurantes China in Box; Camila Farani, investidora-anjo; e Caito Maia, fundador da marca Chilli Beans.

Na apresentação do Adam Robô, Juliano de Moraes Santos, da Prevention, pediu para os investidores participantes fecharem os olhos. Ele então falou sobre o que o motivou a achar uma solução inovadora para evitar que crianças e adultos percam a visão por problemas que, se diagnosticados precocemente, podem evitar a cegueira: “A cada cinco segundos uma pessoa fica cega no mundo e a cada um minuto uma criança, e isso poderia ser evitado com o diagnóstico precoce”, disse.

Caito Maia, da Chilli Beans, lembrou Juliano de que, no Brasil, diagnósticos de visão só podem ser feitos por especialistas. Juliano explicou que o Adam não faz o diagnóstico completo, mas identifica possíveis problemas para que o paciente procure um médico. “O Adam apresenta o grau de prioridade do seu problema de visão para você ir a um oftalmologista fazer o diagnóstico preciso. Damos esse primeiro passo, incentivando o diagnóstico, alertando para o problema existente”, comentou.

Como funciona o Adam Robo?

O papel do Adam Robo é fazer uma triagem, seja ela em escolas, postos de saúde ou óticas com base na tabela de Snellen, de linguagem universal.

Vale do Pinhão

A startup Prevention Vision Test fez parte da primeira turma do espaço. Com o apoio técnico do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), órgão gestor do espaço, e as ações do ecossistema de inovação Vale do Pinhão, a empresa triplicou de tamanho e precisou deixar o coworking. Ela passou a ocupar outro programa de fomento na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Barracões do crime