Policiais da Delegacia de Homicídios (DH) tiveram uma surpresa quando foram cumprir o mandado de prisão de Jean William Gomes Prates, 21 anos, suspeito de assassinar Edivandro Santos de Toledo, 30, em fevereiro. Quando chegaram à casa dele, no Pinheirinho, encontraram o velório dele, morto a tiros na madrugada de segunda-feira (10). Outro suspeito do crime em fevereiro, Marcos de Oliveira Sobrinho, 36, foi preso.

A equipe da DH chegou por volta das 6h na casa de Jean e encontrou as luzes acesas e pessoas na porta da casa. “A gente achou que estivesse ocorrendo uma reunião, uma festa. Mas a família estava reunida porque ele foi assassinado por volta da meia-noite”, contou o delegado Cristiano Quintas. Jean foi baleado no Pinheirinho e morreu no Hospital do Trabalhador.

Jean tinha outros três mandados de prisão em aberto por roubo. A polícia investiga se a morte dele está relacionada com a de Edivandro, morto no dia 28 de fevereiro, no Pinheirinho. De acordo com o delegado Cristiano Quintas, da DH, Edivandro estava com outros três homens em um Corsa branco. Apenas um deles ainda não foi identificado. “O Edivandro teria subtraído 3 mil reais em pedras de crack do Jean, que foi cobrar dele. A cobrança deu em morte”, disse o delegado.

Marcos nega o homicídio. Mas na casa dele foi apreendido um Corsa branco. “O carro é do meu padrasto, houve uma coincidência. Eu nunca entrei nesse carro”, afirma.