Os cerca de 3 mil táxis de Curitiba poderão rodar com bandeira 1, mais barata, no mês de dezembro, quando obrigatoriamente os passageiros têm de pagar valor de bandeira 2 em todas as corridas. A alegação do valor mais alto nesta época do ano é porque os taxistas não têm 13.º salário. O corrida no preço mais baixo também seria uma forma de compensar os taxistas na concorrência com aplicativos de transporte, como Uber e 99 POP. Na bandeira 1, o valor do quilômetro rodado é de R$ 2,70, enquanto que na bandeira 2 é de R$ 3,30.

+ Leia mais: Capa da Veja que diz que Moro impediu investigação sobre corrupção é verdadeira?

A Urbs – empresa municipal que gerencia o transporte público – autorizou os taxistas a abrirem mão da bandeira 2 a partir de sexta-feira (30). Os taxistas interessados em abrir mão da bandeira 2 terão de assinar um termo de adesão na Urbs e providenciar o ajuste do taxímetro.

De acordo com o gestor da Área de Táxi e Transporte Comercial da Urbs, Alessandro de Souza Alves, há possibilidade de que a medida seja estendida para outras épocas do ano. “Adotamos a alternativa como opção para dar competitividade aos taxistas e caso seja do interesse da categoria, poderemos ampliar a opção para o ano todo”, afirma o gestor da Área de Táxi e Transporte Comercial da Urbs, Alessandro de Souza Alves.

Aplicativo

Outra medida para tentar compensar a concorrência com aplicativos é a criação de um aplicativo próprio para os táxis. A Urbs já abriu licitação para selecionar qual sistema será adotado em 2019. Desde que começaram a operar na cidade, em 2016, os aplicativos privados travaram uma “guerra fria” com taxistas, que perderam boa parte dos clientes para os carros de transporte particular.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Funcionários de prefeitura filmavam mulheres ao invés de monitorar segurança em Guaratuba