Curitiba terá no próximo sábado (19) uma marcha pela paz em solidariedade à população da Ucrânia, país invadido por tropas da Rússia há pouco mais de duas semanas. Organizada pela Representação Central Ucraniano-Brasileira (RCUB) com apoio de outras entidades representativas de descendentes, a marcha vai ser no Centro da capital, com saída às 10h da Praça Santos Andrade indo até a Boca Maldita, no calçadão da Rua XV de Novembro.

“A marcha será para que não só os descendentes, mas todo brasileiro possa demonstrar apoio à Ucrânia”, explica o presidente da Representação, o advogado curitibano Vitório Sorotiuk. O Paraná abriga cerca de 80% da comunidade ucraniana no Brasil, a quarta maior colônia do mundo, atrás apenas da própria Rússia, Estados Unidos e Canadá.

+ Leia mais: Em Prudentópolis, a ‘Ucrânia brasileira’, guerra domina conversas e orações

Além de chamar a atenção para as atrocidades do presidente russo Vladimir Putin, a caminhada também pretende incentivar doações para ajudar os ucranianos. No começo de março, a RCUB lançou junto com 20 entidades a campanha Humanitas Brasil-Ucrânia para arrecadar dinheiro para as vítimas da guerra na Ucrânia.

A campanha humanitária já arrecadou R$ 400 mil até a tarde deste domingo (12). O dinheiro será depositado na conta da Embaixada da Ucrânia no Brasil para ser repassado a ações humanitárias, em especial de saúde e alimentação, não só na própria Ucrânia como nos países vizinhos que estão recebendo quem foge do conflito militar.

A arrecadação de doações da RCUB tem apoio do escritório brasileiro do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e de entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). “Esse dinheiro não será usado para compra para armas e materiais bélicos para reforçar as forças ucranianas que estão lutando na guerra. O dinheiro vai para ações humanitárias”, enfatiza Sorotiuk.

+ Viu essa? Entenda porque está acontecendo uma guerra entre Rússia e Ucrânia

As doações podem ser feitas em PIX na chave do CNPJ 78.774.668.0001-83 da Representação Central Ucraniano Brasileira. A ajuda também pode ser feita por depósito: banco 104 (Caixa Econômica), agência 1628, operação 013 (poupança), conta 00010493-0. A organização da campanha pede para que as doações sejam feitas com dígitos de centavos. Por exemplo: se a ajuda for de R$ 100, o doador deve preencher o campo como R$ 100,01.

Ajuda dos governos federal e estaduais

Nessa semana, o presidente da RCUB conversou com a ministra da Família e Direitos Humanos Damares Alves sobre os ucranianos refugiados que estão chegando ao Brasil. De acordo com Soratiuk, a ministra colocou o governo federal à disposição para ajudar.

Além do governo federal, a Representação Central Ucraniano-Brasileira também está em contato com os governos do Paraná e de São Paulo, além de prefeituras, para ter apoio no envio de doações à Ucrânia e para receber refugiados. Soratiuk afirma não saber a quantidade de ucranianos que já chegaram ao Brasil desde o início da guerra. “Agora todo dia está chegando. Nesse domingo mesmo três ucranianos chegaram aqui em Curitiba”, relata.

A RCBU também busca parceria com os governos federal, paranaense e paulista para iniciar arrecadação de remédios e produtos hospitalares, como máscaras e luvas cirúrgicas, para serem enviados à Ucrânia. “Como o transporte e armazenamento desses produtos envolvem questões sanitárias, precisamos que o poder público nos ajude nesse processo”, explica Soratiuk.

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.