Após o Ministério da Educação (MEC) emitir uma portaria na qual proibia a exigência de comprovante de vacinação dos alunos para o retorno às aulas presenciais, a reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) publicou, na tarde da última sexta-feira (31), uma nota de reação ao documento. A manifestação se deu horas antes do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski suspender a portaria.

LEIA TAMBÉM:

>> Bolsonaro volta de férias polêmicas em Santa Catarina e vai direto para o hospital

>> Ano novo, carreira nova? Curitiba tem 1,3 mil novas vagas de emprego pra esta semana!

Na nota, a reitoria da UFPR afirma que o despacho do MEC é “alarmante” e apresenta uma lista de justificativas para sua apreensão. Entre elas, o texto argumenta que a retirada da prerrogativa para regular a questão da exigência de vacinação pelas universidades é particularmente grave por “amesquinhar” a regra constitucional da autonomia universitária.

Embora não afirme claramente se pretendia exigir a comprovação de vacina dos alunos, a reitoria da UFPR conclui a nota afirmando que também “acredita na ciência, nas medidas sanitárias estabelecidas por nossos especialistas e na vacinação como estratégia principal de dar segurança à população, controlar e acabar com a pandemia do COVID-19”.

Nova novela

Conheça o elenco principal de “Poliana Moça”

Quanto Mais Vida, Melhor

Flavia/Guilherme se esconde no bar de Teca

Além da Ilusão

Davi pede desculpa a Isadora por tê-la beijado

Confira!

John Wick 2 e mais filmes e séries chegam nesta semana na Netflix