As aulas presenciais na Universidade Federal do Paraná (UFPR) recomeçam em janeiro de 2022. Na sexta-feira (19), o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) da universidade aprovou, por unanimidade de votos, uma resolução que dá condições para o retorno letivo presencial no ano que vem.

Segundo a UFPR, a resolução foi embasada na avaliação da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da UFPR, composta por cientistas de várias áreas que acompanham e analisam diariamente os dados pandemia de Covid-19 no Paraná e no Brasil desde março de 2020.

+ Leia mais: Curitiba adere campanha do Ministério da Saúde e tem “Mega Vacinação” sábado

“Essa resolução dá previsibilidade e segurança para toda a nossa comunidade e foi construída ouvindo os alunos, os técnicos e os professores da UFPR. Faremos um retorno ao ensino presencial em janeiro, de forma inclusiva e marcada pela ciência”, disse o reitor Ricardo Marcelo Fonseca.

O professor Emanuel Maltempi de Souza, presidente da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 e um dos pesquisadores responsáveis pela Vacina da UFPR, explicou aos integrantes do CEPE que este é o momento de maior otimismo desde o início da pandemia, com redução significativa de novos casos, casos ativos, internações e mortes pela doença, mesmo depois de feriados nacionais, com grande circulação de pessoas nos meses de setembro, outubro e novembro.

“Os dados sugerem que situação está caminhando para certo controle, graças à vacinação. No horizonte de dois meses e meio, estudos predizem que o número de casos estará reduzido em torno de 25 a 30% em relação aos atuais. Por isso, a nossa comissão tem uma opinião unânime de que ao final de janeiro o retorno das atividades presenciais com 100% de ocupação dos espaços deve ser seguro, observadas condições de controle de transmissão, como uso de máscara obrigatório e correto”, defendeu.

A professora Cristina Rodrigues, diretora do Setor Toledo, lembrou que atualmente os sistemas de saúde do Paraná e de Curitiba fecham leitos exclusivos para Covid-19, devido à redução das hospitalizações em razão da doença. “Não vejo motivos para não fazer o retorno de forma segura, 100% presencial, com ocupação de todos os ambientes da universidade. Espero que os regimes remotos sejam exceção a partir de janeiro”, afirmou.

Professores e estudantes favoráveis

Para decidir pelo retorno presencial, os conselheiros ouviram o parecer favorável dos cientistas da Comissão de Prevenção à Covid-19 e os posicionamentos oficiais da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná (APUFPR) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

As entidades de representação dos professores e dos estudantes posicionaram-se favoravelmente ao retorno presencial e elaboraram documentos com algumas exigências em relação, principalmente, ao cumprimento das normas de biossegurança, como uso obrigatório de máscaras, higienização de ambientes, disponibilização de álcool gel, testagem de pessoas com sintomas, monitoramento de casos, funcionamento integral dos Restaurantes Universitários e dos ônibus Intercampi.

LEIA MAIS:

>> Bairros de Curitiba e RMC ficam sem água neste sábado; Veja previsão da Sanepar para normalização

>> Shopping Estação, em Curitiba, anuncia abertura de novas lojas ainda para 2021

O reitor Ricardo Marcelo Fonseca garantiu que a lista de exigências dos professores e alunos será atendida quase que na totalidade pela administração central, especialmente no que se refere ao cumprimento das medidas de biossegurança, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, a distribuição de máscaras gratuitamente para alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica, a disponibilização de álcool em gel para a comunidade, a higienização dos espaços, a testagem de casos sintomáticos, assim como a volta ao atendimento normal nos Restaurantes Universitários e nas linhas Intercampi.

O reitor também lembrou que as sociedades paranaense e brasileira retomam a normalidade e que outras universidades estaduais e federais anunciaram a volta presencial a partir do início de 2022, levando em conta a vacinação completa dos trabalhadores do ensino superior e dos alunos. “Se a pandemia nos ensinou algo é que as circunstâncias podem mudar. No entanto, os dados e a sociedade apontam que é o momento adequado para normatizar o que vai ocorrer daqui dois meses e meio”, afirmou.

Decisão

Os conselheiros votaram favoravelmente pelas alterações do Art. 2º da Resolução 22/21-CEPE, que regulamenta as atividades de ensino dos cursos de educação superior, profissional e tecnológica da UFPR, no contexto das medidas de enfrentamento da pandemia de Covid-19 no País.

Com isso, a partir de 31 de janeiro de 2022 o ensino presencial na UFPR passa a ser a regra, com ensino híbrido ou remoto em casos excepcionais, baseados na Instrução Normativa número 90, do governo federal, enquanto vigente – ou outra que a vier substituir. A nova resolução, com as alterações que permitem o retorno das aulas presenciais, será disponibilizada assim que for publicada pela Secretaria dos Órgãos Colegiados (SOC).

Web Stories

Novidades!

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Economia

Cachorro deprimido? Conheça 5 sinais da doença

Natal em Curitiba

Caminho de Luz Curitiba – saiba como fazer a inscrição!

Nos Tempos do Imperador

Solano Lopez declara guerra ao Brasil