As obras da Rodovia dos Minérios (PR-092), entre Curitiba e Almirante Tamandaré, atingiram mais de um terço (33,65%) do contrato neste início de 2022. O Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR), investe R$ 90,667 milhões para modernizar uma das rodovias estaduais mais importantes da Região Metropolitana de Curitiba.

A obra, que deve ser entregue em novembro, terá novas pistas, marginais, dez pontes, quatro viadutos/trincheiras (interseções em desnível), uma passarela, barreiras do tipo New Jersey, calçadas e ciclovias em um trecho de 4,74 quilômetros.

+ Triboladas: Roubo no motel? Vish, alguém vai ter que se explicar no casamento!

“Esta rodovia tinha caído no esquecimento. Há 30 anos a população aguarda por essa duplicação, que iniciamos logo no nosso primeiro ano de governo. Será uma nova realidade, de mais desenvolvimento e atração de investimentos, para essa parte da Região Metropolitana”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “A ideia é que esse trajeto fique mais seguro e mais rápido para as pessoas que utilizam a rodovia”.

Os destaques no canteiro de obra são as pontes e os viadutos que vão aumentar a capacidade da rodovia. Das dez pontes do projeto, sete estão prontas e três estão na fase inicial de implantação. Com relação aos quatro viadutos, dois estão prontos e os outros estão na fase final de fundação e em março começam a ser instalados.

+ Leia mais: Além de tirar a paciência de motoristas, obras intermináveis da Linha Verde prejudicam setor imobiliário

O objetivo da empresa que está executando os trabalhos é liberar pequenos trechos da rodovia para circulação de veículos e calçadas e ciclovias para a movimentação da população antes da entrega oficial da rodovia.

Almirante Tamandaré

O Governo do Estado dividiu a duplicação da Rodovia dos Minérios em dois projetos distintos. O segundo trecho, no perímetro urbano de Almirante Tamandaré, foi licitado no ano passado. A duplicação de 1,28 quilômetro terá um orçamento de R$ 50,7 milhões.

O DER/PR deve emitir a ordem de serviço na primeira quinzena de fevereiro deste ano. Serão duas pistas de rolamento de 3,60 metros cada em cada sentido, separadas por uma barreira central de concreto tipo New Jersey e acostamentos internos de 1 metro de largura, além de acostamentos externos de 2,50 metros de largura.

+ Veja mais: Ômicron muda protocolo de isolamento e de sintomas da covid-19 em Curitiba

O projeto prevê a implantação de uma interseção em desnível no entroncamento com a Rodovia do Calcário (PR-509), com dois viadutos paralelos e duas rotatórias. Em todo o trecho serão construídas vias marginais em ambos os lados, uma passarela, calçadas e ciclovias. A obra terá início no km 14,3, pouco antes da Avenida Colonial, e segue até o km 15,6, logo após o entroncamento com a Rua Lourenço Ângelo Buzato. O prazo de conclusão nesse segundo trecho é de 720 dias.

Contexto

Com tráfego intenso, principalmente de veículos pesados, a Rodovia dos Minérios é a principal via de ligação de Curitiba a Almirante Tamandaré, Rio Branco do Sul, Itaperuçu e às cidades da região do Vale do Ribeira. Há algumas décadas as pistas simples não suportam mais o trânsito, formado principalmente por caminhões que transportam minérios e seus derivados, conforme o próprio nome da rodovia sugere, como calcário e cimento.