O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) protocolou na Urbs – empresa que administra os ônibus -, nesta quinta-feira (24), um pedido de informação para averiguar a “extinção de inúmeras tabelas do transporte coletivo” e os motivos e critérios que embasaram essa decisão. De acordo com o Sindimoc, pelo menos 20 linhas tiveram corte no horário ou pararam de circular aos domingos e feriados. A Urbs, no entanto, nega. De acordo com a administração municipal, apenas três reforços foram desativados nos últimos meses em decorrência da queda no número de passageiros.

Segundo o Sindimoc, as linhas Colombo-CIC, Ligeirinho Sítio Cercado, Capão da Imbuia–Parque Barigui, Pinheirinho-Santa Cândida e Rio Bonito pararam de circular aos domingos e feriados ou tiveram alterações nos horários. Os dados divulgados pelo sindicato levam em conta a percepção de motoristas e cobradores a partir da reclamação de superlotação e demora nos horários dos próprios usuários.

“É uma queixa dos passageiros e dos motoristas. Alguns estão ficando de plantão dentro das garagens com a redução nas tabelas. A população reclama da superlotação e nós sentimos que são essas mudanças que estão provocando a superlotação. O ônibus passa menos vezes e leva cada vez mais gente”, afirma Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc, que assina o pedido para a Urbs. “Essa situação tem gerado insatisfação dupla. A população cobra os motoristas e cobradores, mas o que eles podem fazer? Por isso nós queremos esclarecimento sobre as linhas modificadas”.

Segundo o presidente do sindicato, dois horários foram retirados da linha Rio Bonito, existe a previsão do Pinheirinho-Santa Cândida deixar de circular neste domingo (27) e a linha Colombo-CIC nunca voltou ao normal depois da desintegração de 2016.

Urbs nega

A Urbs afirma que não cortou nenhuma linha neste ano, mas fez ajustes em alguns ônibus que fazem reforços de linhas já consolidadas onde houve queda de passageiros. Dois reforços foram desativados temporariamente por baixa demanda de passageiros: Campo Comprido–Fazendinha, que era reforço da linha Interbairros IV; e Xaxim-Linha Verde, reforço da linha Xaxim-Capão Raso. A primeira alteração superlotou o Interbairros IV, segundo os motoristas e cobradores.

A administração pública também confirma que o ligeirinho Pinheirinho-Santa Cândida deixará de circular. De acordo com a prefeitura, a demanda de passageiro é muito baixa em função das opções de expressos como o ligeirão Pinheirinho-Carlos Gomes, Pinheirinho-Rui Barbosa e Santa Cândida-Capão Raso, que fazem o mesmo trajeto.

De acordo com a Urbs, a linha Colombo-CIC não deixou de funcionar. Por decisão da Comec (que coordena a integração metropolitana), os ônibus não rodam aos domingos. No entanto, a Urbs manteve o ligeirinho CIC-Cabral para atender passageiros em Curitiba, no mesmo itinerário. A prefeitura também informa que as linhas ligeirinho Sítio Cercado e Capão da Imbuia–Parque Barigui foram desativadas na gestão anterior, de Gustavo Fruet (PDT).

De acordo com a Urbs, houve queda de 8% no número de passageiros em Curitiba apenas no primeiro semestre de 2017. Os números acompanham a redução da procura nos últimos anos na capital. Nos três meses seguintes ao ajuste da tarifa do ônibus, em fevereiro, para R$ 4,25, Curitiba registrou queda de 14% no número de passageiros se comparado ao mesmo período de 2016.