Com a pandemia de novo coronavírus, a imunização contra a gripe se tornou ainda mais importante. No entanto, a baixa adesão da população em Curitiba preocupa especialistas e até um mutirão neste sábado (15), foi organizado pela prefeitura para aumentar a quantidade de imunizados (veja locais abaixo). A vacina contra gripe é segura e capaz de reduzir os casos graves, as internações e as mortes decorrentes da infecção. Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

LEIA MAIS – Curitiba vacina pessoas com 53 anos ou mais e comorbidades a partir desta sexta-feira

Em 2021, devido à covid-19, a vacinação contra a gripe foi alterada em relação aos anos anteriores. Isso ocorreu pela mudança na ordem de imunização pela pandemia, ou seja, começou com os mais jovens e terminará com os idosos. Em Curitiba, do dia 12 de abril até 10 de maio, foi cumprida apenas 31% da meta de vacinação de crianças (total de 25.1040), 31% de grávidas (4.957 gestantes) e 41% de puérperas (1.086 mulheres). Entre os profissionais de saúde a quantidade foi ainda menor, somente 16% da meta cumprida até aqui, com 8.791 vacinados. Já na terceira idade, a vacinação começou nesta semana.

LEIA AINDA – Professores de Curitiba começam a ser vacinados nesta segunda-feira

A queda do número de vacinados acontece por receio da população, que evita sair de casa para não ser contaminado pelo coronavírus. Além disso, muitos preferem ser vacinados primeiramente contra a covid-19, do que contra a gripe. Segundo estudos, é preciso seguir um intervalo de 14 dias para receber as duas vacinas. “O intervalo para tomar as duas vacinas, da gripe e da covid-19, deve ser de 14 dias, no mínimo, para qualquer pessoa”, lembra Márcia Huçulak, secretária municipal da Saúde de Curitiba.

A partir desses questionamentos, a Tribuna do Paraná, conversou com infectologista Alberto Chebabo, 58 anos, do laboratório Frischmann Aisengart, e montou um tira dúvidas. De acordo com o especialista, não se pode dar chance para o vírus e a vacina da gripe é essencial para todos. “Ela é muito importante, pois diminui a demanda de pacientes com problemas respiratórios nos hospitais e a vacina reduz a chance de achar que a pessoa possa estar com covid, pois os sintomas são semelhantes”, alertou o infectologista.

LEIA TAMBÉM – Se idosos já tomaram vacina contra a covid-19, por que ainda há mortes? Entenda

Tire suas dúvidas sobre a vacina da gripe:

Confira o bate-papo com o especialista que fala sobre diversos temas e orienta a procurar a vacina. Lembre-se que qualquer proteção é bem-vinda.

Tribuna do Paraná – Vamos falar da parte técnica da vacina contra a gripe. Como ela funciona no organismo?

Alberto Chebabo – É uma vacina que tem três tipos de vírus influenza no setor público e no setor privado tem quatro. Ela estimula a produção de anticorpos e faz com que a pessoa fique protegida das formas graves ou quadros de gripes. A doença pode provocar morte, especialmente em grupos mais vulneráveis.


Tribuna do Paraná – Se a pessoa já tomou alguma dose da vacina contra a covid-19 e agora se imunizou contra a gripe. Dá para dizer que ela está duplamente protegida?

Alberto Chebabo – Sim, são duas vacinas que dão proteção contra doenças graves que podem até matar.


Tribuna do Paraná – Pela sua experiência, tem percebido a queda realmente na vacinação contra a gripe?

Alberto Chebabo – Vi sim a redução, pois o maior problema que muitas mães deixaram de levar as crianças para as unidades devido ao medo de serem contaminadas pela covid-19. Nos idosos, iremos perceber já nas próximas semanas se vai ter queda na procura.


Tribuna do Paraná – No fim de junho (22), começa o inverno por aqui. Estação que acaba levando mais pessoas a terem problemas respiratórios. Isso preocupa pela queda no número de vacinados contra a gripe.

Alberto Chebabo – É o período de maior risco de infecção de gripe, pois começa a circular o vírus com maior intensidade.

Mutirão de vacinação

Abaixo, você confere os locais de vacinação da gripe para este sábado (15), das 8h às 14h. Durante a semana, as pessoas podem se vacinar em qualquer unidade de saúde que estiver aberta.

Unidade de Saúde Bairro Novo
Rua Paulo Rio Branco de Macedo, 791- Sítio Cercado


Unidade de Saúde Bairro Alto
Rua Jornalista Alceu Chichorro Jr, 314 – Bairro Alto

Unidade de Saúde Hauer
Rua Waldemar Kost, 650 – Hauer

Unidade de Saúde Salgado Filho
Avenida Senador Salgado Filho, 5.265 – Uberaba


Unidade de Saúde Atenas
Rua Emilia Erichsen, 45 – CIC

Unidade de Saúde Mãe Curitibana
Rua Jaime Reis, 331 – São Francisco

Unidade de Saúde Santa Quitéria 2
Rua Bocaiúva, 310 – Santa Quitéria


Unidade de Saúde Concórdia
Rua Dilermano Pereira de Almeida, 700 – Pinheirinho

Unidade de Saúde Santa Felicidade
Via Vêneto, 10 – Santa Felicidade


Unidade de Saúde Rio Bonito
Rua Fanny Bertoldi, 170 – Campo do Santana

Drive-thru

Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar
Avenida Francisco M Albizu, 320 – Bacacheri


Santuário N. Sra. Carmo – Estacionamento da Paróquia
Entrada exclusivamente pelo portão do estacionamento, pela Rua Frederico Mauer – Boqueirão


Rua da Cidadania Cajuru
Avenida Prefeito Maurício Fruet, 2.150 – Cajuru


Administração Regional CIC
Rua Manoel Valdomiro de Macedo, 2.460 – CIC

Comunidade Alcance de Curitiba
Travessa Augusto Marach, 225 (em frente à Policlínica Capão Raso)