A prefeitura detalhou no fim da tarde de quinta-feira (14) como será o início da vacinação da covid-19 em Curitiba, dentro do Plano Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde. A vacinação começa em todo o Brasil às 10h de quarta-feira (20). Confira como será a vacinação em Curitiba no pavilhão do Parque Barigui:

LEIA MAIS – Plano de vacinação em Curitiba deve seguir ordem de prioridade. Confira a lista!

1 – Quantas pessoas vão tomar a vacina nesta fase emergencial?

Serão 18.150 pessoas vacinadas na primeira fase em Curitiba a partir de quarta-feira. O público prioritário dessas doses serão os profissionais de saúde da linha de frente da covid-19, idosos que vivem em asilos e indígenas.

Para esta fase inicial da vacinação, o Brasil conta com 8 milhões de doses para serem distribuídas para todo o país. São 6 milhões da Coronavac importadas da China, vacina que também já está sendo produzida no Instituto Butantan, de São Paulo, mais 2 milhões de doses da Oxford/Astrazeneca importadas da Índia, imunização que será produzida no Brasil pelo Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), do governo federal, no Rio de Janeiro.

2 – Por que centralizar a vacinação no Parque Barigui?

Segundo a prefeitura, é por questões de segurança sanitária. O pavilhão do Barigui, cedido pelo Grupo Positivo à prefeitura, terá 50 salas de vacinação, onde trabalharão 100 profissionais de saúde divididos em turnos.

Por ser um ambiente amplo, de 7,5 mil metros quadrados, a prefeitura alega que há menos risco de aglomeração. Além disso, o estacionamento do parque pode ser usado no sistema drive thru, em que a pessoa não precisa descer do carro para ser imunizado.

LEIA TAMBÉM – Mesmo com data e hora para começo da vacinação, máscaras e cuidados continuam essenciais

Outro ponto é logístico. Segundo o prefeito Rafael Greca, o risco de perdas de doses com a ação centralizada é menor. “Não podemos desperdiçar o que falta para a maioria da população”, reforça o prefeito.

Entretanto, a prefeitura informa que assim que tiver doses suficientes, o plano é estender os pontos de vacinação para dez unidades de saúde nos bairros.

3 – Será preciso agendar a vacinação?

Nesta primeira fase, os três públicos alvos não vão precisar fazer agendamento. Profissionais de saúde da linha de frente da covid-19, idosos que vivem em asilos, e índios já estão sendo identificados pela Secretaria Municipal de Saúde para serem imunizados a partir de quarta-feira.

Já nas fases seguintes da vacinação será preciso fazer o agendamento. O objetivo é evitar aglomerações e facilitar a identificação de quem será imunizado. A vacinação terá que ser agendada pelo aplicativo Saúde Já, conforme o cronograma do público alvo das fases. Quem não é cadastrado será informado das fases por outros canais, incluindo as mídias sociais da própria prefeitura.

4 – Quem tomar a vacina será monitorado em caso de efeitos colaterais?

Sim. Uma rede de suporte e monitoramento foi montada pela Secretaria Municipal de Saúde para acompanhar possíveis casos de efeitos colaterais da vacina. O sistema deve funcionar como o que monitora os casos de covid-19. Além disso, as pessoas imunizadas também receberão pelo aplicativo Saúde Já um questionário para avaliar o pós-vacinação.

5 – Vai ter operação de trânsito para chegar ao Barigui?

A Superintendência de Trânsito (Setran) deve anunciar nos próximos dias como será a operação para que as pessoas cheguem ao Parque Barigui para serem vacinadas. Agentes de trânsito vão orientar os motoristas para que não se formem congestionamentos. A ação deve ter apoio da Guarda Municipal.