Mesmo com as ações constantes dos agentes de endemias da prefeitura de Curitiba contra o mosquito da dengue, não há logística, trabalho presencial e análise de dados que deem conta dos 432 km² de áreas urbanas e terrenos da capital. É necessário que o cidadão crie e mantenha hábitos de, semanalmente, monitorar e avaliar o seu quintal para evitar possíveis focos de procriação do mosquito.

De acordo com a coordenadora do programa municipal de Controle do Aedes, Tatiana Faraco, 66% dos focos positivos identificados em Curitiba foram encontrados em residências, o que demonstra a necessidade de que cada cidadão faça sua parte.

+ Leia mais: Com medo do aumento da covid-19, ACP recomenda uso de máscaras

Curitiba mantém alerta constante, durante todo o ano, para evitar a circulação do mosquito da dengue. O Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) faz vistorias (inclusive com o uso de drone), monitoramento com implantação de armadilhas ao inseto (ovitrampas), ações pedagógicas, bloqueios epidemiológicos em áreas com focos positivos e casos da doença, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), conforme diretriz do Ministério da Saúde e, ainda, promove um cronograma de mutirões de limpeza chamado Curitiba sem Mosquito.

Para a população fazer a sua parte, a SMS listou dez dicas importantes para evitar que a dengue avance pelo município. É só seguir os passos.

Dez passos para afastar o Aedes aegypti

1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.

2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.

3 – Não jogue lixo em terrenos baldios.

4 – Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo.

5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje.

6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.

7 – Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.

8 – Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.

9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana.

10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.

Pantanal

Zuleica está preocupada com Marcelo

Instagramáveis

Saiba onde encontrar as lindas cerejeiras em Curitiba

Novidades da Netflix

Volume 2 de Stranger Things 4 e mais séries e filmes chegam nesta semana

Além da Ilusão

Joaquim termina seu noivado com Isadora