Um vídeo postado nas redes sociais do vereador de Curitiba Professor Euler (PSD), na quarta-feira (23), traz uma provocação bem humorada sobre o atraso das obras na Linha Verde, que já completam 15 anos sem terminar. A imagem fechada do vídeo apresenta um diálogo entre um pescador e um narrador, que pergunta se o personagem está cansado de viver a vida na tranquilidade. Ao ampliar a imagem, com uma tomada aérea feita por um drone, a surpresa é que a pescaria ocorre dentro das obras da Linha Verde Norte, na região do Trevo do Atuba, numa espécie de lago que surgiu na obra. As obras da Linha Verde têm uma previsão de avanço, já que em março uma nova licitação para o trecho paralisado será lançado.

A crítica vem acompanhada de um pedido de aposta do Professor Euler para o prefeito Rafael Greca (DEM), feito em um segundo vídeo. “Se ele terminar a Linha Verde até o final do atual mandato dele, com muito gosto eu farei a doação de 100 cestas básicas”, provocou o vereador.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Vereador Professor Euler (@professoreuler)

Segundo Euler, o uso do humor, nesse caso da Linha Verde, também serve para trazer à tona os problemas que precisam ser solucionados. “Não se trata de achar graça que as obras não terminam. Se trata de escancarar que a prefeitura está passando vergonha. São 15 anos de obras, de trocas de empreiteiras, que afirmam e reafirmam que pode ter um erro de projeto. Agora, troca de novo de empreiteira. Será que vai solucionar ou a prefeitura é que tem que assumir que tem algum problema?”, aponta o vereador.

+ Leia mais: Importante cruzamento de Curitiba tem bloqueio por causa de obra. Fique ligado!

Ainda conforme o Professor Euler, é compreensível que a culpa não seja inteira dessa gestão. Ele destaca que já é a segunda concessionária que tem o contrato rompido unilateralmente naquele trecho da obra. “A obra começou em gestões anteriores, mas a atual administração já teve um mandato e agora tem mais três anos pela frente. Ou seja, já se passaram cinco anos e a obra não acaba. O problema não está nas concessionárias, mas em erros não corrigidos no projeto da obra. Do jeito que está, pode trocar de concessionária quanto quiser. Não vai adiantar. Do jeito que está o projeto, a obra é inexequível”, afirma. O atraso das obras da Linha Verde já estão impactando, inclusive, o setor imobiliário do seu entorno.

Vídeo

A ideia de gravar um vídeo de alguém pescando na Linha Verde surgiu quando um assessor de Euler cruzou a região do Atuba e ficou preso no trânsito. Conforme a assessoria, com o carro parado, o assessor ficou olhando para a obra e chegou no gabinete brincando que daria para pescar por ali. “Assim, foi criado o roteiro pela nossa equipe e partimos para a produção do vídeo”, informou o gabinete.

Ainda segundo a assessoria, a inspiração para o personagem foi o Seu Creysson, que pertencia a um quadro do grupo humorístico Casseta & Planeta, da Rede Globo. Seu Creysson era interpretado pelo comediante baiano Cláudio Manoel.

Já no vídeo da aposta, o texto que acompanha as imagens provoca Greca. “Prefeito, topa o desafio? O senhor aposta comigo 100 cestas básicas? Vamos subir a hashtag #apostagreca e descobrir quando realmente a #Prefeitura pretende concluir a Linha Verde…”.

Sobre isso, Professor Euler disse que é algo apenas simbólico. “O que eu espero da prefeitura é que ela resolva os problemas do projeto da obra, faça logo esta licitação e coloque uma real força de trabalho para concluir a obra o mais rapidamente possível”, finaliza.

+Leia mais! Linha Verde nunca vai terminar? Curitiba rescinde contrato de trecho em obras

E aí, prefeitura?

Procurada, a assessoria da prefeitura informou que o prefeito não vai se manifestar sobre o assunto. Sobre as obras, a prefeitura informou que em março sai o edital de licitação do trecho que está com obras paralisadas.

Pantanal

Zuleica não aceita morar na fazenda com os filhos

Além da Ilusão

Davi expulsa Iolanda de casa

Novidades da Netflix

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Estreia da semana

5 curiosidades sobre “O Telefone Preto”