Videos das câmeras de monitoramento da BR-376, na região de Guaratuba, litoral do Paraná, estrada que ocorreu o grave acidente com o ônibus de turismo na segunda-feira (25), mostram que o motorista teve chance de entrar em uma área de escape antes de bater em uma mureta de proteção e tombar na sequência, desmentindo seu depoimento à Polícia. O acidente resultou em 19 mortes e 31 feridos.

Nas imagens é possível perceber que o ônibus passa pela área de escape da rodovia, na faixa central da pista, e menos de um quilômetro, durante uma curva, ele tomba para fora da rodovia. Ao bater, percebe-se um clarão nas imagens (veja parte final do vídeo). Na parte da área de escape, o motorista não mostrou intenção em entrar, pois não deu sinal que poderia seguir pela esquerda.

Recentemente um motorista salvou 37 pessoas ao utilizar a área de escape em um trecho pouco depois do acidente registrado nesta semana.

Em depoimento para a Polícia Civil, o motorista relatou que percebeu problema no freio do ônibus e que teria tentado usar a área de escape, mas não conseguiu por causa de um caminhão que, segundo ele, estava ao lado direito. Por isso, bateu na mureta e caiu no barranco.

Após o acidente, o motorista foi encaminhado para a Delegacia de Guaratuba, onde prestou as primeiras informações. Ainda no período da tarde de segunda-feira, a Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba, a Dedetran, assumiu a investigação. Com o depoimento do motorista, a Dedetran iniciou as conversas com quem presenciou a viagem ou mesmo auxiliou nas buscas.

O delegado Edgar Dias Santana teve acesso a três passageiros (um menor de idade e dois adultos), que afirmaram que o motorista estava sendo imprudente ao acelerar o ônibus de maneira perigosa em um trecho com curvas.

Dezenove pessoas morreram no local, sendo 13 adultos, 5 adolescentes e uma criança. Todos os corpos já foram encaminhados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba e irão chegar no estado do Pará nesta quarta-feira (27). O ônibus saiu de Ananindeua (PA) com destino a Balneário Camboriú (SC) e São José (SC) com 53 passageiros e dois motoristas.

Câmeras de segurança mostram que motorista não tentou acessar a Área de Escape na BR-376. Foto: Reprodução;

Tacógrafo apreendido

A velocidade que o ônibus seguia pela BR-376 ainda não foi divulgada pela Polícia Civil. O tacógrafo, dispositivo que monitora o tempo de uso, distância percorrida e a velocidade do veículo, foi apreendido pelo Instituto de Criminalística do Paraná. O resultado da análise deve sair nos próximos dias e será determinante para apontar possíveis irregularidades.

“Não dá para precisar ainda a velocidade que trafegava antes e na hora do acidente. O tacógrafo foi apreendido e será analisado pelo Instituto de Criminalística. Nós temos prazo de 30 dias para concluir o inquérito policial, mas que pode ser prorrogado por mais 30 dias devido a quantidade de pessoas que serão ouvidas”, relatou Edgar Dias Santana, em entrevista à Tribuna.