Conhecida por ser alvo de invasões de passageiros e apelidada como “linha do terror”, a linha Alferes Poli do transporte coletivo de Curitiba passou por mais uma ação da Guarda Municipal (GM), no fim da tarde de terça-feira (11). Após a abordagem, os guardas constataram que 22 pessoas entraram no ônibus desta linha sem pagar a passagem. Na fiscalização, a Patrulha do Transporte Coletivo da GM ainda encontrou um simulacro de arma de fogo (arma de brinquedo) embaixo de um dos bancos do ônibus. 

LEIA MAIS – Curitiba mantém bandeira laranja, mas com novas regras. “Momento crítico”, alerta SMS

Destas 22 pessoas, três foram conduzidas à Central de Flagrantes da Polícia Civil por porte de drogas. Conforme a Guarda Municipal, dois jovens argentinos, de 21 e de 24 anos e um terceiro homem, de 29 anos, foram levados à delegacia. Com os três, 16 pequenas embalagens de maconha foram encontradas. Os demais passageiros que não pagaram a passagem foram liberados para continuar o caminho a pé.

“Continuaremos monitorando este problema recorrente em algumas linhas para atuarmos sempre que for necessário, em apoio à Urbs”, afirma o comandante da Guarda Municipal, inspetor Carlos Celso dos Santos Junior.

Guardas do núcleo Matriz, encontrou um simulacro de arma de fogo (arma de brinquedo) embaixo de um dos bancos do ônibus.
Foto: Divulgação
Arma de brinquedo apreendida no ônibus. Foto: Divulgação/Guarda Municipal de Curitiba

Contra crimes nos ônibus

De acordo com a Guarda Municipal, a Patrulha do Transporte Coletivo desenvolve um trabalho específico para inibir diversos tipos de delitos, com rondas, presença de guardas em estações-tubo e terminais e, operações estratégicas, que incluem abordagem a pessoas dentro dos ônibus.

LEIA AINDA – Cartões-transporte de passageiros com covid-19 são bloqueados pela Urbs

Também são atendidas pelas equipes da GM, situações de repressão a danos, tentativas de invasão e roubos e aquelas relacionadas à importunação sexual dentro de ônibus, com a condução dos suspeitos à delegacia, após acionamento da vítima ou de testemunhas, pelo telefone de emergência 153 da Guarda Municipal.

Para pedir ajuda

O passageiro que presenciar situações de delito no transporte coletivo pode acionar a Guarda Municipal, por meio do telefone 153. A ligação é atendida 24 horas por dia por um dos profissionais do Centro de Operações da Guarda Municipal.

LEIA TAMBÉM – Coronel Hudson, comandante da PM, é internado com covid-19 em Curitiba

Para ajudar na identificação do suspeito, a GM recomenda que informações básicas, como a cor da roupa, óculos ou bonés, sejam repassadas pelos usuários dos ônibus. A partir da ligação, segundo a Guarda, é possível deslocar uma equipe em trabalho de rua, que estiver mais próxima do endereço, para averiguação de uma situação de delito em flagrante e fazer abordagens a pessoas suspeitas.