Os mais eufóricos acharam que se tratava de uma invasão espacial, outros que era uma “carreata” de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) e a maioria nem sabe o que tá rolando. Mas na noite deste domingo (10) uma série de luzes brilhantes riscaram o céu de Curitiba e região e deixaram intrigados quem olhou para cima. Afinal, o que aconteceu? Não estamos mais sozinhos?

Na verdade o “fenômeno” já não é novidade, visto que mais gente viu a mesma coisa em outras oportunidades. As luzes observadas no nosso céu são alguns dos milhares de satélites prometidos pelo multibilionário Elon Musk (dono da Tesla e da Space X) para levar internet a todos os cantos do planeta Terra. Esses são os primeiros efeitos de uma grande polêmica levantada pelo projeto do empresário.

+ Veja também: Deve chover em Curitiba nos próximos dias. Veja quando!

Starlink é o nome da iniciativa que, inicialmente, vai pôr em órbita 12 mil satélites iguais. Eles têm por objetivo formar uma rede que permitirá levar internet de alta velocidade até os locais mais remotos do nosso planeta. A comunidade científica teme que haja prejuízos para o mundo como um todo no que diz respeito à observação do espaço. Hoje são aproximadamente 4 mil satélites rodeando nosso planeta. O problema é que alguns especialistas dizem que os 12 mil que Elon Musk pretende lançar não serão suficientes, e que o número pode chegar a 40 mil

“A rede será formada por 12 mil satélites de órbita baixa (em torno de 550 km de altitude), cada um com massa de 230 kg aproximadamente. Cada lançamento coloca em órbita 60 satélites, que formam uma fila indiana visível durante alguns dias após o lançamento. Conforme cada satélite migra para sua posição específica, a fila se desfaz”, explicou Anísio Lasievicz, diretor do Parque da Ciência do Paraná.

Ele explicou que com o isolamento, as pessoas passaram a olhar mais para o céu e a procura por esclarecimento de dúvidas aumentou. “Nos últimos dias, recebemos diversas mensagens com dúvidas sobre o que seriam pontos brilhantes que caminham pelo céu em fila, como se fosse um trem. Essa característica peculiar tem deixado as pessoas curiosas e até um pouco assustadas”.

+ Leia mais: Festa clandestina provoca aglomeração em Curitiba e preocupa representantes de casas noturnas

No último dia 22 de abriu foi lançado o 7º conjunto de satélites, totalizando 420 unidades em órbita até o momento. O Projeto Starlink tem criado polêmicas na comunidade astronômica. “Essa quantidade de satélites (os 12 mil previstos) vão refletir muito a luz do sol e prejudicar as observações dos telescópios, que estão cada vez mais sensíveis. Qualquer coisa que passa na frente causa um prejuízo. Vai ser mais custoso e demorado resolver”, explicou Anísio.

Vai acontecer de novo?

Quem perdeu o fenômeno, pode ficar tranquilo. Ele vai se repetir várias vezes, uns dias de dia, noutros de madrugada, algumas vezes num horário bom para ser observado. Neste site é possível ver quando será a próxima passagem do “trenzinho de satélites”. Vai acontecer nesta segunda, entre 18H e 19h.

Também nesta segunda será possível observar a passagem da Estação Espacial Internacional (entre 18h23 e 18h32) e até o Telescópio Hubble (entre 18h32 a 18h39), todos na mesma faixa horária. A previsão é de tempo bom e céu claro. Então, não perca!