Há quem tenha pelos animais um carinho tão grande que os bichinhos acabam se tornando parte da família. Este é o caso de Pitoco, um pinscher, de 10 anos, que sumiu e deixou a família desesperada. Há mais de um mês, Gracimara Chaves Souza, a tutora do cãozinho, procura sem parar e teme pela saúde de Pitoco, que toma remédio controlado. Ela chegou a oferecer R$ 2 mil de recompensa para localizar o cachorro.

Quando desapareceu, Pitoco estava próximo da casa em que vive com a família, no Conjunto Colina Verde, no Bairro Alto, próximo ao Hospital Vita. “Ele estava com minha sobrinha quando sumiu. Nós não acreditamos que tenha desaparecido simplesmente. Achamos que alguém o chamou e ele foi, porque ele é mansinho, vai com todo mundo”, comentou Gracimara à Tribuna do Paraná.

Pitoco tem 10 anos. Foto: Arquivo Pessoal
Pitoco tem 10 anos. Foto: Arquivo Pessoal

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Segundo a mulher, Pitoco vivia com a família já há 10 anos e, por isso, era meio idoso. “Além disso, precisa de alguns cuidados especiais, por exemplo, toma remédio todos os dias se não faz ferida no corpo. Precisa de cuidado também com os olhos, então ele pode estar sofrendo”. Gracimara contou que o cachorro, que é pequeno e muito bonzinho, tinha uma fita no pescoço com o telefone da família. “Então, se alguém o achou, não devolveu porque não quis, porque as informações estão lá, é só entrar em contato”.

Desde o dia 12 de abril, quando Pitoco desapareceu, a mulher não teve mais nenhuma informação sobre o cãozinho. “Distribui 200 cartazes, criei campanha nas redes sociais, saí procurar, coloquei anúncio em moto, mas não consegui encontrar e também não tive nenhum retorno. No Facebook, eu posto duas vezes por dia, de manhã e a tarde, para fazer com que mais gente veja, mas nosso desespero só aumenta”.

Recompensa!

Logo nos primeiros dias do desaparecimento, Gracimara ofereceu R$ 1 mil para quem encontrasse Pitoco. “Como não surtiu efeito, aumentei o valor para R$ 2 mil. Para mim, não tem dinheiro que pague, porque ele vale muito mais do que isso. Se eu pudesse, pagava até mais para que me devolvessem”, desabafou a mulher.

Emocionada, Gracimara fez um apelo e pediu que mais gente ajude a procurar por Pitoco. “Se eu pudesse, eu realmente daria um valor ainda mais alto para tê-lo de volta. Além de amá-lo demais, estou muito preocupada também com a saúde dele, isso é o que mais me deixa aflita, porque ele pode estar precisando de ajuda”.

O contato de Gracimara é o (41) 99601-4649.

Restaurantes vão dar lanche em dobro no Dia Mundial do Hambúrguer