Dos 37 novos juízes substitutos do Tribunal de Justiça do Paraná seis são ex-alunos da Faculdade Estadual de Direito do Norte Pioneiro (Fundinopi), com sede em Jacarezinho, no Norte do Estado. Eles concorreram com candidatos de todo o país e foram empossados no dia 16 deste mês.

Os novos juízes substitutos oriundos da Fundinopi ? cinco mulheres e um homem – são Anne Regina Mendes, Larissa Gomes, Camila Terza Gutzlaff, Anna Cristina Cremonezi, Franciele Estele Allergoni de Souza e Luiz Valério dos Santos, que obteve a segunda colocação no concurso.

Base do concurso

A receita da Fundinorpi para formar bons advogados é simples. Aliás, a preocupação é formar advogados que conheçam as leis e saibam como interpretá-las. Depois, basta acrescentar um currículo integrado com outras áreas do conhecimento, uma atuação forte na área da assistência jurídica gratuita, onde os alunos têm oportunidade de exercitar a profissão e de tomar contato com a realidade social de suas regiões.

?É muito raro uma instituição de nível superior conseguir um índice de aprovação de 13,5%?, afirma o diretor da faculdade, Jaime Domingues Brito, que credita o mérito aos alunos, à instituição, aos professores, aos funcionários, mas também ao Governo do Estado e à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

Perfil

A Fundinorpi é uma das dezessete instituições integrantes do sistema estadual de ensino superior, composto por cinco universidades e doze faculdades, todas elas mantidas com recursos públicos. Na avaliação do MEC, a faculdade obteve o conceito ?A? em todos os provões. Já nas duas avaliações realizadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a instituição recebeu o selo de qualidade.

Além disso, na última edição do ?Guia do Estudante? da Editora Abril, a faculdade de Jacarezinho recebeu três estrelas, ficando entre as melhores escolas de Direito do país, ao lado de universidades federais tradicionais como a PUC de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul e da Bahia, entre outras.

Pós-graduação

Além do curso de graduação, a Fundinorpi oferece curso de mestrado em Teoria da Justiça: Justiça e Exclusão, recomendado pela Capes. ?Esta é uma linha na qual a instituição vem investindo nos últimos dez anos?, afirma o diretor da faculdade.

Como exemplos de projetos de cunho mais social, ele cita o ?Pró-egresso?, que visa dar assistência jurídica, psicológica e pedagógica a pessoas que cometeram delitos e estão retornando à sociedade e o ?Escritório Modelo?, onde dez estudantes e um advogado atendem gratuitamente pessoas de baixa renda.

Outro projeto na mesma linha e que tem o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e do Ministério Público diz respeito à criança e ao adolescente. O projeto dá orientações sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente.