Os itens Saúde (1,75%), Habitação (0,91%) e Alimentação (0,48%) contribuíram juntos com 0,57 ponto percentual no Índice do Custo de Vida (ICV) de São Paulo, em março. Esse aumentos foram compensados pela queda de 1,3% no grupo Transportes. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), a inflação voltou a subir, atingindo 0,47%.

A pesquisa mostrou que a inflação apurada no período foi 0,68 ponto percentual superior à de fevereiro, quando houve deflação de 0,18%. A taxa de inflação acumulada em 2004 é de 1,75% equivalente a uma diferença de 3,67 pontos percentuais com relação aos três primeiros meses de 2003, quando a taxa de inflação acumulada atingiu 5,42%.

Para as famílias mais pobres, com renda média de R$ 377,49, a inflação em março foi a mais elevada (0,52%). A menor taxa de inflação incidiu sobre os gastos das famílias com renda média de R$ 934,17 (0,42%). Para as famílias de maior poder aquisitivo, com renda média de R$ 2.792,90, o ICV de março ficou em 0,48%.