O Colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) encerrou na manhã de hoje o Processo Sancionador que apurou a ocorrência de irregularidades na gestão de negócios do Banco Nacional, que culminaram com a intervenção do Banco Central na instituição.

Os ex-diretores Marcos Catão de Magalhães Pinto e Arnoldo Souza de Oliveira, este o principal executivo do banco à época da intervenção, receberam a pena máxima, ou seja, de 20 anos de inabilitação para o exercício do cargo de administrador ou para atuar como conselheiro fiscal de companhias abertas.

O terceiro dos cinco diretores envolvidos no processo, Clarindo José de Sant?anna, foi condenado a dez anos de inabilitação. Outros dois diretores, Nagib Antônio e Décio da Silva Bueno, foram absolvidos das acusações e se livraram das punições. O Banco Central interveio no Nacional em novembro de 1995. Posteriormente, o banco foi comprado pelo grupo Unibanco.