Pane no sistema de radiofreqüência do 2º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Espaço Aéreo (Cindacta 2), com sede em Curitiba, provocou atrasos em 63 dos 196 vôos previstos, além de 11 cancelamentos, nos principais aeroportos da Região Sul do país, entre as 18 horas de ontem (12) e as 10h30 deste sábado (13), de acordo com boletim da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A primeira pane no serviço de rádio que monitora as operações do Cindacta 2 foi s 14 horas de ontem. O problema foi resolvido 25 minutos depois, sem maiores conseqüências, mas o sistema voltou a apresentar defeito s 18 horas e permaneceu duas horas fora do ar, provocando a suspensão de pousos e decolagens, mais atrasos em cadeia nos aeroportos de Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba e no de Congonhas, em São Paulo.

Para tentar resolver de uma vez por todas o problema de falta de comunicação com as aeronaves, com prejuízos para o controle do tráfego aéreo, o Comando da Aeronáutica enviou hoje a Curitiba uma equipe técnica com equipamentos de última geração para detectar o defeito. O objetivo é sanar o problema local e evitar conseqüências também para a área do Cindacta 1, em Brasília, que monitora 80% dos vôos do país.

De acordo com o boletim da Anac, o aeroporto mais prejudicado no horário analisado, em número de ocorrências, foi o de Congonhas, onde, dos 90 vôos programados, nove atrasaram (três da TAM, três da Varig, dois da OceanAir e um da Gol) e seis foram cancelados (três da TAM e três da Gol).

Em termos percentuais, os maiores transtornos e com atrasos mais demorados ocorreram no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Dos 32 vôos previstos, 26 atrasaram (13 da Gol, sete da TAM, dois da OceanAir, dois da Webjet, um da Varig e um da BRA) e teve um cancelamento da Gol.

No aeroporto de Curitiba foram registrados 16 atrasos em 53 dos vôos programados (oito da TAM, sete da Gol e um da Trip — táxi aéreo), além de quatro cancelamentos (dois da TAM, um da Gol e outro da OceanAir). Dos 21 vôos a partir de Florianópolis, 12 atrasaram (sete da TAM, quatro da Gol e um da Varig), sem nenhum cancelamento.