O feriado de Tiradentes não foi tranqüilo para alguns moradores da região Sul de Curitiba e dos municípios Quatro Barras, Pinhais, Piraquara e Campina Grande do Sul. Segundo relatório da Defesa Civil Estadual, no fim da tarde de quinta-feira (21), um vendaval com uma forte chuva de granizo atingiu estas localidades e deixou 35 pessoas desabrigadas e 10 com ferimentos leves. De acordo com o Simepar, os ventos atingiram velocidades de 54 a 72 km/h, dependendo da região.

O Sistema de Defesa Civil, formado pelo Corpo de Bombeiros, Comissões Municipais (Comdec), Copel e outros órgãos do governo estadual, atenderam, até a madrugada desta sexta-feira (22), a mais de 400 chamadas, em razão aos danos causados pelo temporal. Segundo o chefe do setor técnico da Defesa Civil, tenente Douglas Martin Konflanz, para o atendimento emergencial, foram usados cerca de seis mil metros quadrados de lona. ?Além disso, houve a desobstrução de vias públicas, devido à queda de árvores e postes, e o encaminhamento dos desabrigados para colégios e casas de familiares e amigos?, contou ele.

Os bairros atingidos pelo temporal foram Jardim Menino Deus e Borba do Campo, no município de Quatro Barras, Esplanada, Pio XII, Rose Galvão, Vila Varginha, Palmital e Vargem Grande, em Pinhais, e Jardim Paulista e Jardim Nossa Senhora das Graças, em Campina Grande do Sul. Além de outros três em Piraquara. Ainda, de acordo com o relatório da Defesa Civil, os danos maiores foram quedas de árvores e postes, rompimento de fios de energia elétrica, destelhamentos e alguns danos estruturais em cinco casas e três barracões.

Para o meteorologista do Simepar, Lisandro Jacobsen, o motivo da forte chuva com granizo foi uma ?linha de instabilidade intensa, na qual se encontra vários núcleos de nuvens intensas?. ?A previsão para o final da tarde desta sexta-feira (22) é que o tempo continue instável e há a possibilidades de chuva rápida. O tempo só deve começar a melhorar no sábado (23)?, contou ele.

O tenente Douglas explica que a Defesa Civil está preparada para atender a qualquer emergência desta natureza. ?Nós mantemos contato direto com o Simepar e sempre estamos a postos para amenizar os danos causados por eventos naturais como este?, informou.