Técnicos do governo do Paraná e da UFPR se reuniram nesta quarta-feira (9) na Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos para estabelecer as normas de funcionamento no Estado do programa Afroatitude numa das regiões mais pobres: o Vale do Ribeira.

O programa foi criado para acompanhar os alunos cotistas afrodescendentes na UFPR. "Além do acompanhamento pedagógico, os alunos terão atuação em áreas de combate à violência, prevenção à aids e de educação no Vale do Ribeira", explicou o secretário Nizan Pereira.

As ações no Vale do Ribeira, uma das áreas mais pobres do Paraná, estarão interligadas aos programas sociais que o governo estadual e a universidade já vêm realizando nos municípios que integram a região.

Segundo a assessora de Assuntos Estudantis da UFPR, Cristiane da Silva, a intenção é dar apoio aos alunos que não têm condições econômicas de se manter. "O projeto Afroatitude é a continuação da promoção da inclusão racial iniciada pelo sistema de cotas nas universidades".

A seleção para participar dos projetos será feita pela renda dos alunos. A UFPR dispõe de 50 vagas, que serão distribuídas em quatro projetos: Rede de Escolas Integradas, Núcleo de Estudos Afrobrasileiros, Centro de Estudos e Pesquisas sobre Violência Racial e o Vale do Ribeira.