Foto por: Lluis Gene

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, disse nesta terça-feira, após a vitória por 1 a 0 no Green Point, que sua seleção, agora nas quartas de final, esteve muito à vontade diante dos portugueses, ainda que tenha sido uma partida difícil.

“Estivemos muito atentos aos movimentos defensivos”, declarou o treinador, para em seguida dizer que será difícil vencer a seleção espanhola se ela mantiver, nos jogos seguintes, o nível que mostrou nesta terça-feira.

“Nós nos sentíamos bem”, disse Del Bosque, que ressaltou ainda o trabalho feito por David Villa. “Que um homem como ele, acostumado a jogar como atacante, a se preocupar apenas em se desmarcar, hoje tenha contribuído na defesa, me parece um dado relevante”.

Mas apesar dos elogios, o treinador afirmou que “foi uma partida intensa, no primeiro tempo houve certo equilíbrio, estivemos um pouco perdidos, mas no segundo superamos a seleção portuguesa, estivemos com mais profundidade, foi uma partida difícil e tivemos um rival muito forte”.

“O controle de jogo fizemos bem, tivemos a bola, tivemos profundidade, tudo de uma boa posição defensiva… jogadores como (Joan) Capdevila, como (Carles) Puyol e Sergio Ramos fizeram um trabalho fantástico na defesa”, acrescentou em uma coletiva de imprensa.

“Que homens como Cristiano Ronaldo quase passem despercebidos é mérito de nossos homens da defesa”, disse Del Bosque, que explicou que o astro português moveu-se por todo o campo, mas “cada vez que entrou na zona de um jogador nosso, o inutilizamos”.

Del Bosque agora olha para o Paraguai, time que enfrentará no próximo sábado em Johannesburgo, pelas quartas de final da Copa, advertindo para a solidez defensiva do time sul-americano.

“Tem bons jogadores na defesa, mas também um bom ataque, teremos que demonstrar a mesma dedicação que nesta partida” para poder passar às semifinais do campeonato, disse.

O técnico espanhol concluiu dizendo que “não podemos confiar em ninguém. O Paraguai está fazendo uma excelente Copa. É preciso ir passo a passo e tentar superar a partida seguinte”.