Brasília – O delegado da Polícia Federal Renato Sayão, responsável pelo inquérito que investiga as causas do acidente com o avião da Gol Linhas Aéreas, recebeu nesta quarta-feira (18), de técnicos do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta), informações sobre a estratura do sistema.

Ele também viu as imagens de radar de Manaus (AM), Brasília e São José dos Campos (SP) referentes ao dia 29 de setembro, quando ocorreu a queda do avião. E as transcrições dos contatos feitos entre os controladores de vôo de Brasília e os pilotos do jato que colidiu com o Boeing da Gol.

Cópias do material serão encaminhadas nos próximos dias ao delegado, que segundo a assessoria de imprensa da PF só deverá colher depoimentos dos controladores quando conseguir reunir dados técnicos que esclareçam, ao menos em parte, o que aconteceu no momento do acidente.

O Boeing 737-800 da Gol caiu em área de floresta no norte do estado de Mato Grosso, depois de colidir com um jato executivo Legacy, fabricado pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer). As 154 pessoas que estavam no Boeing morreram. Os pilotos do jato fizeram um pouso de emergência e nenhum dos sete ocupantes ficou ferido.