O consumidor deve tomar algumas precauções para impedir futuros problemas com as compras de fim de ano. O alerta é da Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor. O delegado Roberto Heusi elaborou uma série de dicas para facilitar a vida dos consumidores. ?A principal delas é exigir sempre a nota fiscal. Este é o documento que irá não só evitar a venda irregular como também poderá ser usado para comprovar a relação de consumo numa eventual necessidade?, disse ele. ?Seguindo essas dicas o consumidor não só se protege como terá condições de reivindicar seus direitos?, observou.

A exigência de nota fiscal é apenas a primeira providência. Além disso, o delegado diz que é muito importante que, durante a euforia de compras, o consumidor busque prestar atenção na procedência das mercadorias que vai adquirir. Outra dica é ter informações sobre o local onde as compras vão ser realizadas. ?É importante saber se é uma empresa conceituada e qual o tempo em que está no mercado?, disse o delegado. Antes de passar pelo caixa, não se deve esquecer de verificar a qualidade e o acabamento do produto. ?Nunca esqueça de exigir o certificado de garantia?, ressaltou o delegado.

Se a compra é de produtos perecíveis, além de seguir as dicas acima, o consumidor deve ter ainda uma outra preocupação: observar o prazo de validade. E para todo tipo de aquisição, deve fazer pesquisa de preço. ?Nem sempre o mais caro é o melhor. O mesmo ocorre com produtos com preços muito abaixo daqueles praticados no mercado. O consumidor deve desconfiar das promoções?, avisou. Se ficar muito clara a possibilidade de fraude, o consumidor deve denunciar. ?A nossa delegacia existe para evitar os crimes contra a economia e ainda proteger o consumidor?, disse o delegado. O telefone para denunciar é (41) 3322-7897.