Uma mulher de 30 anos morreu na madrugada de hoje na Santa Casa de Campo Mourão, a cerca de 460 quilômetros de Curitiba, no noroeste do Paraná, vítima de dengue. É o primeiro caso registrado neste ano naquela região.

"A princípio trata-se de uma dengue comum, com complicações", disse o enfermeiro Jefferson Nery Correia, responsável pela Vigilância Epidemiológica no município. Mas não está descartada a possibilidade de ser hemorrágica – serão feitos exames mais específicos.

A mulher, que teve a identidade preservada, teria apresentado os primeiros sintomas da doença no dia 15 de julho, em Nova Maringá (MT), município no qual morava havia cerca de três meses. Ela teria tomado remédios para a gripe, sem consultar um médico. A princípio teria tido uma melhora, mas logo depois alguns sintomas voltaram e ela decidiu, com o marido viajar a Campo Mourão, onde mora a família e teria melhores condições de tratamento.

Na viagem de ônibus passou muito mal. Seus familiares foram avisados e entraram em contato com a Secretaria Municipal de Saúde. Quando desembarcou no município, dia 22 de julho, foi levada para a Santa Casa. Tinha febre, sentia dores de cabeça e musculares, além de dificuldades respiratórias. Um primeiro exame sorológico no Laboratório Central do Estado, em Curitiba, deu negativo para dengue. Mas a segunda amostra foi positiva.

De acordo com o chefe do Departamento de Vigilância em Saúde e Pesquisa da Secretaria de Estado da Saúde, Luiz Armando Erthal, o fato de ela ter se medicado no Mato Grosso sem acompanhamento médico "mascarou" alguns sintomas da doença, o que levou ao diagnóstico tardio.

Ao mesmo tempo em que informou a Secretaria de Saúde de Nova Maringá sobre o caso, a Vigilância Epidemiológica de Campo Mourão intensificou o trabalho de educação e prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, apesar de o foco não estar no município.