A convocação de Toninho da Barcelona será um dos principais assuntos a ser discutido, nesta terça-feira, na reunião administrativa da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios.

Na opinião da vice-líder do governo no Senado, Ideli Salvati (PT-SC), trata-se de um depoimento "muito importante" e, por isso, deve ser ouvido o mais rápido possível, em uma sessão pública, em Brasília.

O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) também defende que o depoimento seja aberto. "Quanto mais transparência no processo, melhor para a CPI", disse.

Já o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) quer que Toninho da Barcelona seja ouvido em São Paulo, em sessão fechada, por uma delegação da CPMI. "Temos outros depoimentos importantes para esta semana, provavelmente na quinta-feira o do presidente do PL, Valdemar Costa Neto", justificou.

Para o senador, a eficiência da argüição do depoente não está no número de pessoas que o interrogam, mas na qualidade das perguntas. "Temos que chegar ao término desta CPI com eficiência, principalmente no que diz respeito às investigações e remessas ilegais ao exterior".

Toninho Barcelona foi preso em agosto de 2004, condenado a nove anos em regime fechado, durante a operação da Polícia Federal que investigava a remessa ilegal dinheiro do Brasil para o exterior. Estima-se que tenha movimentado, em apenas uma de suas contas, mais de US$ 190 milhões.