Os depoimentos de hoje (31) na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Compra de Votos, previstos para ter início às 11h30, foram remarcados para às 14h. Segundo o presidente da CPMI, senador Amir Lando (PMDB-RO), o horário foi alterado por causa da sessão do Congresso Nacional que acontece neste momento para examinar vetos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 84 propostas aprovadas pelo Legislativo. "Por determinação regimental, enquanto há regime de votação no Congresso, na Câmara ou no Senado, não podem funcionar as comissões parlamentares de inquérito", disse Amir Lando.

Serão ouvidos hoje os presidentes dos fundos de pensão da Petrobras (Petros), Wagner Pinheiro de Oliveira; da Caixa Econômica Federal (Funcef), Guilherme Narciso de Lacerda; e do Banco do Brasil (Previ), Sérgio Ricardo Rosa. Eles já foram ouvidos na semana passada pela CPMI da Compra de Votos em uma reunião fechada.

"Eles foram ouvidos em caráter muito preliminar, quando expuseram aspectos gerais das atuações dos respectivos fundos. As indagações foram poucas, então, resolvemos transformar isso numa sessão aberta, que será feita hoje", explicou Amir Lando. O senador espera que os presidentes dos fundos de pensão tragam fatos novos. "As inquisições vão ser muito mais produtivas", afirmou.