Brasília – O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados retomou há pouco a sessão de votação do relatório do deputado Nelson Trad (PMDB-MS) que recomenda a cassação do mandato do deputado Roberto Brant (PFL-MG).

No início da discussão, o deputado Pedro Canedo (PP-GO), relator do processo contra o deputado Professor Luizinho (PT-SP), negou ter sido pressionado pela cúpula do partido para faltar à votação: "O presidente do partido me consultou e sugeriu que eu aguardasse a reunião da bancada antes de ir ao Conselho de Ética. Não recebi pressão, sugestões sim". Pela manhã, Trad havia relatado um telefonema em que Canedo lhe teria dito que talvez não comparecesse à sessão por pressão da cúpula do PP.

O conselho deve votar ainda hoje o processo contra Roberto Brant. Ele é acusado de receber R$ 102 mil da empresa SMP&B, de Marcos Valério de Souza.