O Conselho de Ética da Câmara ouve o deputado Pedro Corrêa (PP-PE), às 10 horas, no plenário 4 da Câmara. O parlamentar, que responde a processo de cassação por quebra de decoro, vai se defender das acusações de que teria recebido recursos das empresas de Marcos Valério Fernandes de Souza. O publicitário mineiro é apontado como um dos operadores do suposto esquema da compra de votos de parlamentares.

À tarde, a partir das 15 horas, os membros do conselho devem ouvir o chefe de gabinete da liderança do PP, João Cláudio Carvalho Genu. Ele teria recebido R$ 600 mil das contas de Marcos Valério, segundo depoimento de Corrêa à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Compra de Voto. Já Valério, em depoimento à mesma CPMI, alegou que Genu foi responsável por saques no valor total de R$ 4,1 milhões.