Homens do Corpo de Bombeiros localizaram hoje o corpo do porteiro e procuram três desaparecidos nos escombros do prédio Areia Branca, na Praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife. O edifício de 12 andares, com 25 apartamentos, desabou ontem à noite.

A vítima fatal é Antônio Félixo dos Santos, de 38 anos. Estão desaparecidos o bombeiro Alcebíades Lins da Silva, de 35 anos, que no seu dia de folga trabalhava como segurança do edifício, e dois prestadores de serviço da empresa Jato Beton, Cícero Júnior Lima e Silva e Ivanildo Martins dos Santos, ambos com 21 anos. A empresa foi contratada pelos moradores para fazer reparos no prédio.

Moradores informaram hoje que o calculista da obra e a Comissão de Defesa Civil (Codecip) garantiram na madrugada de quinta-feira que não havia risco de o prédio desabar. Eles decidiram deixar o prédio após ouvir estrondos e vibração na estrutura na terça-feira, por volta de meio-dia. “À noite fizemos uma reunião de emergência para decidir o que fazer, porque muitas portas estavam desestabilizadas e não fechavam”, disse o morador Haldson Cesar Barbosa Junior. Ele disse que não havia rachaduras nas paredes.

Por volta de meia-noite de quarta para quinta-feira, após o jogo do Brasil, os moradores ouviram um forte estrondo e uma coluna do edifício teria “repuxado”. “Decidimos evacuar”, afirmou Barbosa Junior.

A maioria dos moradores deixou móveis e pertences em seus apartamentos de 228 metros quadrados, avaliados em R$ 200 mil. Saíram apenas com a roupa do corpo e documentos. Boa parte está na casa de parentes.

Por enquanto, ninguém arrisca a falar em causa do desabamento, mas especula-se que problemas na estrutura ou desestabilidade no solo tenham provocado o acidente. O edifício foi construído há 28 anos, de acordo com o CREA, e a empresa responsável pela construção, JB Construções e Empreendimentos Imobiliários, não existe mais desde 30 de novembro de 1995.

Os bombeiros continuam os trabalhos de busca. Não há previsão de término dos trabalhos diante da dificuldade de retirada da caixa d’água, que pesa cerca de 40 toneladas.