Brasília (AE) – A Polícia Federal e a Receita Federal desmontaram hoje (3) um esquema de fraudes no pagamento de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) que operava no Rio Grande do Sul e causou prejuízos estimados em R$ 2 milhões entre 2004 e 2005. Foram expedidos mandados de prisão de nove pessoas e de apreensão de documentos e computadores.

De acordo com as investigações da área de Inteligência da Receita Federal no Rio Grande do Sul, a quadrilha elaborava e transmitia, via internet, declarações falsas de IRPF, com valores de imposto a ser restituído. Os suspeitos utilizavam computadores disponíveis em cibercafés e outros estabelecimentos comerciais espalhados em cidades do interior do Estado.

Na tentativa de dar maior respaldo às declarações fraudulentas, as restituições supostamente devidas eram vinculadas a recolhimentos de IR na fonte supostamente feitos por empresas que estão registradas em nome de pessoas ligadas aos membros da quadrilha. A Receita apurou, ainda, que muitas das firmas citadas nos documentos fraudados já estão inaptas ou inativas.

De acordo com a Receita, os principais suspeitos de encabeçar o esquema são residentes no município de São Sebastião do Cai, no Vale do Sinos. Os fiscais desconfiaram dos golpes depois de receberem reclamações de pessoas que tiveram seus nomes usados nas declarações falsas.