O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran/PR) vai investir R$ 225 mil na construção de uma passarela sobre a Avenida Colombo (BR 376), em Maringá. A ordem de serviço para construção da passarela foi assinada nesta quarta-feira (28) na presença do governador Roberto Requião e do prefeito Sílvio Barros.

O prefeito disse que a obra vai resolver um dos principais problemas viários do município. ?Essa passarela vai ser um marco para nossa cidade, pois vai acabar com os acidentes de carros e atropelamentos num dos cruzamentos mais movimentados de Maringá?, destacou Sílvio Barros.

Os recursos foram repassados ao município por meio de convênio entre Detran/PR, Secretaria de Obras Públicas e prefeitura de Maringá. A licitação, a contratação de empresa especializada e a execução das obras ficarão sob responsabilidade do município, que também arcará com a contrapartida de R$ 90,9 mil.

A passarela será construída no KM-179 e fará a ligação de bairros populosos com o outro lado da rodovia, onde fica um grande shopping e um hipermercado, local de grande fluxo de pessoas e de travessia de pedestres.

Segundo o diretor-geral do Detran/PR, coronel David Antônio Pancotti, a construção da passarela é de extrema importância para a região, em função dos altos índices de acidentes envolvendo pedestres neste trecho da rodovia.

De acordo com estatísticas da Polícia Rodoviária Estadual, somente este ano, até junho, aconteceram na Avenida Colombo 130 acidentes. No ano passado, foram contabilizados 374 acidentes.

A avenida é também a principal via de acesso dos motoristas a cidades como Paranavaí, ao estado de São Paulo e também ao Paraguai, atravessando uma região densamente povoada. ?É por isso que acontecem tantos acidentes e a construção de uma passarela se faz necessária?, diz o diretor do Detran.

Também participaram do evento os secretários Rogério Tizzot (Transportes), Virgílio Moreira Filho (Indústria e Comércio), Dernizo Caron (Obras Públicas), Airton Pissetti (Comunicação Social), o deputado federal Reinhold Stephanes, o presidente da Sanepar, Stênio Jacob, e o presidente do Sindivest, Antonio Recco.