A Secretaria da Saúde lembra o Dia Nacional da Saúde nesta sexta-feira as conquistas inéditas no Paraná. Pela primeira vez a mulher paranaense recebe atendimento médico integral do sistema público de saúde com o Programa Ser Mulher. A saúde da população masculina também recebe atenção específica mediante o Programa Paraná Homem. ?A saúde básica recebeu atenção especial do Estado nos últimos dois anos?, disse o secretário Cláudio Xavier.

Segundo o secretário, o Paraná implantou um programa pioneiro no Brasil de incentivo à criação e ao aumento das equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) nos municípios com menos de 100 mil habitantes, sendo que o Ministério da Saúde realiza o mesmo incentivo para as cidades maiores. ?Todos os paranaenses têm o direito de ter assegurado o prazer de comemorar o Dia da Saúde?, afirmou.

Ele explicou que o Programa Ser Mulher está funcionando desde junho em oito cidades do Estado. Ele engloba sete áreas da saúde da mulher, como planejamento familiar, contracepção, sexualidade e climatério, endometriose e auxílio em casos de violência contra a mulher. O tratamento é multi e interdisciplinar. Os casos são acompanhados por especialistas como ginecologistas, psicólogos e assistentes sociais.

Xavier disse que na implantação desse programa e na construção dos oito centros foram investidos mais de R$ 200 mil. As cidades contempladas com os primeiros centros foram Jacarezinho, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Paranavaí e Apucarana. ?Outras oito unidades deverão estar funcionando até o final do ano?, anunciou.

Para a secretária Maria de Lurdes Godoi Audi, 38, de Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro, o atendimento do programa é excelente. Ela ainda está em tratamento para a colocação do aparelho Mirena – um contraceptivo – por motivos de metrorragia (hemorragia constante).

?Fiquei sabendo desse tratamento em conversas entre amigas. Fui atendida só por profissionais mulheres e vi que estão bem preparadas para fazer esse atendimento. Além disso, foram muito simpáticas?, conta. Ela diz que ficaria ainda melhor se o número desses centros fosse maior. ?Para que as mulheres pudessem ter uma maior qualidade de vida, deveria haver mais centros?, diz.

Além dos centros, a Secretaria da Saúde investiu mais de R$ 7 milhões em equipamentos nos hospitais de referência em gestação de alto risco. Também distribuiu kits para exames preventivos e capacitou profissionais. O número de hospitais de referência para o tratamento subiu de 12 para 40. O Estado é referência nacional na detecção precoce do câncer de mama e de colo uterino, com ações desenvolvidas pela Secretaria.

Paraná Homem –

O governo do Estado lançou em abril o programa Paraná Homem. Esse programa segue a mesma linha de atenção que a Secretaria da Saúde proporciona a todas as faixas e categorias, mediante programas específicos para idosos, crianças, portadores de deficiência e mulher. Ele atende doenças que afligem especificamente os homens.

Ações multidisciplinares estão programadas com o atendimento de psicólogos e assistentes sociais. Implantado inicialmente na Regional de Saúde de Paranavaí, abrange uma população de mais de 250 mil homens nos 28 municípios que compõem a Regional. ?Queríamos fazer um programa voltado para o homem no Estado e conseguimos colocar esse programa em funcionamento. Somos o primeiro Estado do país a fazer isso?, conta Xavier.

Com a implantação do programa, pela primeira vez é oferecido o medicamento Doxazosina, para tratamento de hiperplasia (tumor benigno) na próstata. ?O Paraná é o primeiro Estado a doar esse medicamento no país?, conta o coordenador do Programa Saúde do Homem, Manoel Guimarães.

Ao todo, o programa engloba 11 áreas com problemas e enfermidades que atingem o homem, como câncer da próstata, DST/AIDS, aumento da próstata, disfunção erétil, doenças cardiovasculares, alcoolismo, varicocele, hipertensão arterial, câncer do testículo, diabetes e fimose.

Cláudio Xavier afirmou que o Governo do Estado também lembra o credenciamento e a reclassificação junto ao Ministério da Saúde de mais 57 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Estado. No total, são 31 leitos adultos, 11 leitos pediátricos e 12 leitos neonatais. Os municípios contemplados são Campo Mourão, Cascavel, Guarapuava, Ivaiporã, Pato Branco, São José dos Pinhais e Umuarama.

O Governo conseguiu aumentar o número de leitos credenciados junto ao Sistema Único da Saúde (SUS) e agregar mais cerca de R$ 220 mil ao teto do Estado. Agora, no total, o Estado conta 959 leitos de UTI, quase um terço a mais do que possuía no início de 2003.