Apareceu o Eriberto de Londrina. Trata-se do cidadão Robério Bicheri, que por algum tempo prestou serviços profissionais como motorista ao diretório municipal do Partido dos Trabalhadores, durante a campanha de reeleição de Nedson Micheleti. Ele disse à Polícia Federal ter retirado envelopes com dinheiro no apartamento de um assessor do ministro Paulo Bernardo, para conduzi-los ao comitê financeiro da campanha.

Há algumas semanas, Soraya Garcia, ex-participante do referido comitê, havia declarado à PF que a prestação de contas do prefeito acusou gastos de R$ 1,3 milhão, quando na verdade teria despendido quantia não inferior a R$ 6,5 milhões.

Na ocasião, o delegado Sandro Roberto Viana dos Santos, cuja transferência havia sido determinada pouco antes, com base no exame de documentos apreendidos em empresas prestadoras de serviços à campanha, confirmou estar convicto da existência de caixa 2 na reeleição de Micheleti.

O ex-motorista deixou pior a situação do prefeito e do ministro Paulo Bernardo, que desmentem as acusações, ao rechear o depoimento com informações sobre a coleta de dinheiro por ele realizada também em outras fontes. Ato contínuo, instruído pelo comitê financeiro, saía em busca de assinaturas de supostos doadores, a fim de ?esquentar? as doações.

Reeleito no segundo turno, após renhido enfrentamento com o ex-prefeito Antônio Belinati, o populista que havia governado três vezes o município até ser cassado por corrupção, Micheleti arvorou a proposta de reação cívica da comunidade para obstar o retorno de político afastado da administração municipal, pela comprovação dos graves desvios que patrocinara.

Os eleitores de Londrina fizeram sua parte concedendo ao prefeito o segundo mandato. Analistas saudaram o ressurgimento da velha flama londrinense, associando a eleição de Micheleti ao canto do cisne do populismo soterrado pela malversação de recursos públicos.

Indícios da utilização dos mesmos métodos, condenados com veemência pelo PT ao longo de sua história, lançam nódoa irreparável sobre a vitória do candidato de Londrina, uma das cidades mais importantes da região Sul.

Um cravo a mais a ferir a dignidade perdida por um partido em processo de esvaziamento.