O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), José Mário Miranda Abdo, afirmou que, dentro do processo de concessão do setor energético, a revisão tarifária, promovida a cada quatro anos, busca equilíbrio entre a saúde financeira das empresas, a qualidade dos serviços prestados e os interesses dos consumidores.

Ao apresentar os índices preliminares da revisão tarifária periódica da Companhia de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul (CEEE), durante audiência pública em Porto Alegre, Abdo disse que os cálculos preliminares realizados pela agência indicam que as tarifas da companhia gaúcha poderão ser corrigidas em 6,88% a partir de 25 de outubro, quando completa quatro anos da última revisão tarifária.

Já o diretor de distribuição da companhia, Luiz Antônio Leão, disse que o percentual de reajuste de 6,88% proposto pela Aneel para as tarifas é pequeno para manter a qualidade dos serviços e os investimentos previstos. Ele explicou que o ideal seria correção em torno de 10%. Segundo ele, com índice menor, será necessário dilatar prazos para a ampliação de subestações e a implantação de novas linhas, previstos no plano de investimento da empresa.

A audiência pública promovida pela Aneel em Porto Alegre teve por objetivo receber sugestões dos interessados sobre o processo de revisão da concessionária. A CEEE fornece energia para Porto Alegre e mais 71 municípios do estado, numa área de concessão que envolve as regiões metropolitana, litoral e sudoeste.