Rio (AE) – José Marcos Castilho, ex-prefeito de Angra dos Reis pelo PT, que ocupava desde 2003 a diretoria de Administração da Eletronuclear, estatal responsável pela operação do complexo nuclear de Angra, deixou o cargo ontem (1). Castilho é supeito de favorecer a corretora Assurê no processo de renovação do seguro das usinas. É o segundo a deixar a empresa depois das denúncias do "mensalão": há duas semanas, o diretor de Gestão, Planejamento e Meio Ambiente, Luiz Rondon, entregou o cargo junto com outros dois afilhados do deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) lotados em diferentes estatais.

A assessoria de imprensa da Eletronuclear informou que Castilho pediu licença ao Conselho de Administração da empresa no final da tarde de ontem. Sua gestão está sendo auditada, a partir da comissão de sindicância instaurada pelo IRB para apurar suposto favorecimento do empresário Henrique Brandão, dono da Assuré, ligado a Jefferson. O ex-prefeito é acusado de indicar a Assurê para atuar como corretora dos seguros das usinas, em um processo de renovação da apólice comandado pelo IRB-Brasil Resseguro, estatal que mantém o monopólio dos resseguros no País.

Castilho chegou a mandar um comunicado ao IRB para sugerir a empresa de Brandão para o contrato, com argumentação pouco convincente, segundo a sindicância do IRB. Cerca de 15 dias depois, porém, voltou atrás e enviou nova ordem suspendendo a indicação. O contrato de corretagem da apólice foi fechado com o Bradesco. A Eletronuclear também abriu uma auditoria interna para investigar o caso e pediu à Corregedoria Geral da União (CGU) e ao Tribunal de Contas da União (TCU) que façam o mesmo.

Segundo uma fonte da estatal, a Eletronuclear não tinha o costume de indicar as corretoras de seguro de seus contratos até o início da gestão de Castilho. No ano passado, ele conseguiu incluir a Assurê na apólice, comenta a mesma fonte.

O ex-prefeito de Angra foi posto no cargo pelo próprio PT. Rondon, que saiu em meados de junho, por sua vez, foi indicado pelo deputado federal e pediu afastamento junto com o presidente da Eletronorte, Roberto Salmenron, e o diretor do Correio Antônio Osório Menezes da Silva.