Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a atuação no país das organizações não-governamentais (ONGs), o vice-presidente da Associação Amazônia, Luís Antonio Nascimento de Souza, admitiu nesta quarta-feira (19) que os recursos utilizados para a compra de 172 mil hectares de terras em Roraima ingressaram irregularmente no Brasil.

De acordo com Souza, os US$ 70 mil usados pela associação para adquirir a posse das terras da comunidade local foram trazidos ao país em espécie e trocados por reais em casas de câmbio da região Norte. Entre os maiores doadores de recursos à associação, segundo o vice-presidente, estão o cidadão italiano Roberto Imperiale, encarregado de trazer os dólares, e entidades como sindicatos italianos e a ONG inglesa Guardiães da Floresta.