O cientista político Marco Antonio Carvalho Teixeira disse há pouco que o pronunciamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi "vago e retórico", frustrando as expectativas de que esclarecesse o que conhecia sobre as denúncias de corrupção. "Ele disse que foi traído, mas não disse por quem e nem quais circunstâncias", afirmou Teixeira que é pesquisador da FGV.

"O discurso do presidente Lula não contribuiu nem para o governo nem para o PT, e pode ter dado mais espaço para os partidos de oposição trabalharem a tese do impeachment", analisou o cientista.

Segundo Teixeira, ao fazer um discurso "genérico" que não aborda questões específicas, como a denúncia do ex-deputado Valdemar Costa Neto de que Lula sabia das negociações feitas por Delúbio Soares com os partidos da base do governo, a credibilidade de Lula pode cair ainda mais.

"O prestígio popular do presidente está caindo muito rapidamente", disse, referindo-se à pesquisa do DataFolha, publicada hoje, em que José Serra vence Lula no segundo turno. Há duas semanas, ponderou Teixeira, Lula tinha uma aprovação muito melhor. "O campo de manobra do presidente está se reduzindo", afirmou, referindo-se que, no discurso feito há pouco, o presidente já não citou seu prestígio popular. Seu único trunfo é o bom desempenho da economia brasileira nos últimos dois anos.