São Paulo (AE) – As negociações para a venda da Brasil Telecom, Telemig Celular e Amazônia Celular estão paralisadas, apesar de o Citigroup e os fundos de pensão terem anunciado a intenção de se desfazerem dos ativos ainda este ano. "Estamos abertos a retomar as conversas a qualquer instante", afirmou Pedro Paulo de Campos, sócio da Angra Partners, responsável por administrar um dos fundos de investimento que controla a companhia.

Os controladores das empresas são o Citigroup e os fundos de pensão. Eles brigam com o Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, para retomar o controle das companhias. A expectativa deles é que isso ocorra num prazo de três meses. Só depois disso é que as negociações poderiam ser retomadas.

"O que queremos é comprar toda a empresa e não blocos de ações", afirmou um dos interessados na aquisição. "Os sócios precisam chegar a um acordo antes de batermos o martelo." O Opportunity administrava os recursos dos fundos e do Citigroup e exercia o controle das companhias, mas foi destituído.

A Claro e a Vivo manifestaram repetidas vezes interesse pela Telemig Celular. As duas empresas não estão em Minas Gerais um dos mercados mais importantes do País. A Claro possui uma licença para iniciar nova operação em Minas, o que deve ocorrer em breve. Isso não impede, porém, a compra da Telemig. Na Grande São Paulo, a empresa também possuía uma licença, mas acabou comprando a BCP.

Campos negou que tenha recebido qualquer oferta da Telemar para a compra da Brasil Telecom, como chegou a ser dito por Paolo Dal Pino, presidente da Telecom Italia no Brasil. A empresa italiana é o principal interessado em adquirir a Brasil Telecom, onde já possui participação.