O ambiente no mercado de câmbio continua positivo e favorável. A queda do risco País, que bateu na sexta-feira nova mínima histórica, a 194 pontos base, deve continuar influenciando o desempenho da moeda norte-americana. Mas, em uma semana curta e de agenda fraca, o que deve realmente determinar o comportamento do câmbio é o fluxo – que também não deve ser intenso, já que muitas empresas já entraram em férias coletivas.

No Brasil, não está prevista a divulgação de nenhum indicador importante. E, no exterior, é feriado em boa parte da Europa, o que deve dificultar a busca de direção do mercado em Nova York e tornará, portanto, ainda mais lento o ritmo de negócios.

Na abertura, o dólar negociado no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) recuava 0,09%, cotado a R$ 2,145, ante o fechamento de sexta-feira.