O dólar fechou em alta pelo terceiro pregão consecutivo, e também na cotação máxima do dia, em ambos os mercados. No interbancário, o dólar subiu 0,20%, para R$ 2,036. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista foi a R$ 2,035, também com valorização de 0,20%. Apesar de ser dia de formação de ptax (taxa média), os negócios foram bastante mornos nesta segunda-feira (30), com volume financeiro estreito por causa do feriado do Dia do Trabalho amanhã.

Os operadores informaram que a formação da taxa que será usada na liquidação dos contratos futuros de maio de 2007, na quarta-feira, acabou sendo antecipada na última semana, já que muitos investidores anteviram um dia morno hoje.

A moeda abriu pressionada, refletindo a turbulência política na Turquia. Os bons dados divulgados hoje nos Estados Unidos, no entanto, puxaram as bolsas para cima e serviram para o dólar diminuir o ímpeto da alta ao longo das negociações.

O Banco Central também acabou anunciando mais cedo leilão de compra no mercado à vista, "para animar o dia morno" e também para justificar sua nova forma de atuação, que é a de ser mais imprevisível, destacou um profissional do mercado. No leilão da hora do almoço, o BC comprou moeda pela taxa de corte de R$ 2 033. Aceitou seis propostas, de seis bancos, de um total de 12 apresentadas, entre R$ 2,0325 a R$ 2,034. Seis bancos não divulgaram suas taxas.