O vice-presidente da CPI das Sanguessugas, Raul Jungmann (PPS-PE), vai pedir hoje ao juiz Jefferson Snaider, do Mato Grosso, que pressione a Polícia Federal a fim de que sejam liberados documentos sobre o escândalo do dossiê Vedoin para a Comissão. Jungmann quer que a PF envie logo à CPI a quebra do sigilo telefônico de Hamilton Lacerda, ex-assessor de imprensa da campanha do senador Aloizio Mercadante (PT-SP).

Hamilton Lacerda foi flagrado pelas câmeras de TV do circuito interno de vigilância do Hotel Ibis, em São Paulo, com malas contendo o dinheiro que seria utilizado para a compra do dossiê contra candidatos tucanos.

A CPI quer que a PF envie também o resultado do rastreamento de US$ 109.800 que entraram no Brasil através do Banco Sofisa. "O juiz já determinou que esses dados fossem disponibilizados para a CPI. Mas, até agora, a PF não mandou nada", reclamou Jungmann.

Ele informou ainda que talvez possa ir a Cuiabá ainda esta semana caso o delegado Diógenes Curado, responsável pelas investigações sobre o Dossiê no Mato Grosso, conclua seu relatório parcial sobre o escândalo.