Jorginho chegou na manhã de ontem (07) a Ponta Porã, onde a Seleção Brasileira que disputa o Sul-Americano Sub-20 no Paraguai está concentrada. O auxiliar-técnico da seleção principal ficará com o grupo até o fim da primeira fase e depois passará o bastão para o técnico Dunga, que verá de perto o hexagonal que definirá os dois representantes sul-americanos nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008.

A CBF foi pega de surpresa com a decisão da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) de usar o sul-americano Sub-20 como seletiva para a Olimpíada ao invés de organizar um Pré-Olímpico para jogadores até 23 anos – a idade limite para participação no torneio olímpico – até então, o torneio era seletiva apenas para o Mundial Sub-20, que começa no fim de junho, no Canadá, que contará com os quatro melhores sul-americanos.

O plano inicial era montar uma Seleção Sub-23 durante este ano para disputar o Pré-Olímpico em janeiro de 2008, e havia a possibilidade de Dunga acumular o cargo ou de o comando ser entregue a Jorginho. Já pensando nisso, ano passado o treinador convocou alguns jogadores com idade para participar do time Sub-23, como os laterais Marcelo e Carlinhos e os volantes Lucas e Denílson. Mas a mudança anunciada pela Conmebol em dezembro acabou com parte do plano, porque a vaga para a Olimpíada seria disputada pelo time Sub-20, que já tinha uma Comissão Técnica formada e a lista de jogadores convocados para o sul-americano.

Resta a Dunga e Jorginho torcer para o técnico Nélson Rodrigues classificar o time para ir a Pequim, e depois decidir com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, como será o planejamento da preparação do time Sub-23.

Ricardo Teixeira ainda procura o modelo ideal para o comando do time olímpico. Em 2000, apostou no técnico que dirigia a equipe principal e se deu mal. Vanderlei Luxemburgo voltou muito desgastado do fracasso em Sydney – o Brasil foi eliminado por Camarões nas quartas-de-final, mesmo tendo dois jogadores a mais em campo – e perdeu o emprego na seleção.

Em 2004, Teixeira entregou o cargo de técnico do time Sub-23 a Ricardo Gomes para não correr o risco de complicar a vida de Carlos Alberto Parreira. Mesmo contando com um time talentoso, que tinha Diego, Robinho, Daniel Carvalho, Dagoberto, Elano e o zagueiro Alex, Gomes naufragou no Pré-Olímpico do Chile.