Fabrice Coffrini/AFP

Após a eliminação da seleção brasileira da Copa do Mundo da África do Sul, com a derrota de 2-1 para a Holanda pelas quartas de final, o técnico Dunga expressou tristeza com a saída prematura do torneio e confirmou que deve deixar o comando da seleção. ¨Sem dúvida todos nós estamos muito tristes porque não esperávamos, trabalhamos para obter um resultado diferente. Já sabíamos que seria um jogo muito delicado, muito difícil¨, declarou o treinador na entrevista coletiva após o jogo, disputado no estádio Nelson Mandela Bay, na cidade de Port Elizabeth. ¨No primeiro tempo conseguimos jogar melhor, mas no segundo tempo não conseguimos manter a mesma forma de jogar do primeiro¨, completou. Ao ser questionado sobre o futuro, Dunga foi direto. ¨Quanto ao meu futuro, já se sabia muito bem quando eu cheguei na seleção que eram quatro anos que eu ia ficar¨, declarou.

Ao voltar a falar sobre a partida das quartas de final, o técnico lamentou a queda de rendimento da equipe no segundo tempo.

¨A gente não conseguiu manter a mesma concentração, a mesma forma de jogar do primeiro tempo. Sabíamos que uma Copa do Mundo são 90 minutos, os jogos são decididos em detalhes e, infelizmente a gente não conseguiu o nosso maior objetivo que era ser campeão do mundo¨.

O treinador também admitiu a maior parte da responsabilidade pela derrota e não quis criticar o volante Felipe Melo, autor de um gol contra e que ainda foi expulso no segundo tempo.

¨Como comandante, acho que a culpa é de todos nós, lógico que eu levo a maior parte. Agora seria injusto eu falar alguma coisa do Felipe, porque quando a gente ganhou, ganhou todo mundo. Não foi a primeira vez que um jogador foi expulso em uma partida de Copa do Mundo, então a responsabilidade é de todos¨.

Apesar de não ter apontado culpados, o treinador admitiu que jogar com um a menos contra um adversário forte em uma partida eliminatória de Copa é muito difícil.

¨Jogar com um jogador a menos em uma Copa do Mundo com jogadores de qualidade da outra parte sempre dificulta mais, mas desde o início do jogo, no intervalo, a gente comentou que o juiz estava sendo bastante pressionado e algumas faltas que não eram ele estava marcando¨.

¨Inclusive tive que trocar o Michel (Bastos), que tinha levado um cartão amarelo em um lance que nem falta foi. Não é uma desculpa, mas acontece, a gente gostaria que não acontecesse, que fosse diferente, mas só quem está lá dentro de campo pode ter uma noção melhor¨, explicou.

O treinador também defendeu a equipe das acusações de que os jogadores estavam muito nervososos e de que não estavam preparados para jogar atrás no placar.

¨Ninguém prepara um time para perder, a gente prepara sempre o time para ganhar. Tenta motivar os jogadores para buscar o resultado¨.

¨O nervosismo veio pelo fato do adversário virar … e o comprometimento que estes jogadores tinham com a seleção brasileira …¨, declarou o treinador.

Os jogadores da seleção retornam no sábado a Johannesburgo e embarcam em seguida para o Rio de Janeiro, com previsão de chegada na madrugada de domingo.