Os últimos seis anos foram perdidos para a América Latina. A expansão das economias da região não atingiu nível suficiente para acompanhar o crescimento populacional. A conclusão faz parte de estudo divulgado hoje pela Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e Caribe).

Entre 1997 e 2002, a economia da região cresceu 1% em média anualmente, para uma expansão demográfica média de 1,5%. No período, o PIB per capita (Produto Interno Bruto, soma de bens e serviços produzidos durante um período, dividido pelo total de habitantes) da região recuou 1,45%. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)