Foto: Theo Marques/SECS

Secretário Bianchini participa da vacinação.

A segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa no Paraná encerrou ontem (20) e o produtor tem agora 10 dias, até 30 de novembro, para comprovar a vacinação do rebanho junto às unidades veterinárias da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. A partir de dezembro, a propriedade que não comprovar a vacinação será visitada pelas equipes de fiscalização da secretaria.

Paralelamente ao final da campanha de vacinação o Paraná recebeu uma missão de auditores de países da União Européia que vieram constatar as condições de sanidade agropecuária no Estado. Conforme avaliação preliminar do Ministério da Agricultura e do Abastecimento, o Paraná atendeu as expectativas da auditoria.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, a comprovação da vacinação do rebanho terá reflexos positivos para o Estado porque é um dos requisitos exigidos para o Paraná conseguir novamente o reconhecimento internacional de área livre de febre aftosa com vacinação.

Bianchini destacou que o produtor retardatário que não vacinou seus animais ainda poderá comprar a vacina, desde que solicite autorização nas unidades e subunidades veterinárias da secretaria. Sem essa autorização, as revendas não podem fornecer as vacinas.

A comprovação da vacinação também é um dos requisitos exigidos para a Secretaria da Agricultura emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), que permite o trânsito de animais. ?Somente as propriedades que estão em dia com a sanidade animal poderão retirar as GTAs?, avisou Bianchini.

A comprovação é feita com a apresentação da nota fiscal de compra da vacina, mais a apresentação de formulário, discriminando o rebanho da propriedade por faixa etária e sexo, explicou Marco Antonio Teixeira Pinto, chefe da Divisão Sanitária Animal (DAS) da secretaria. As propriedades que não apresentarem esse documento serão autuadas e a multa prevista é de R$ 78,00 por animal não vacinado.

União Européia

A avaliação preliminar do Ministério da Agricultura e do Abastecimento e da equipe técnica da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento é que o Paraná atendeu as expectativas exigidas na auditoria da União Européia, que enviou uma missão ao Estado entre os dias 15 e 16 de novembro. O relatório da missão será concluído e divulgado dentro de 15 dias.

A missão da OIE composta por três auditores (Itália, Portugal e Suécia) visitou um posto de fiscalização em Guaíra e depois se deslocou a Londrina, onde assistiu uma apresentação sobre o funcionamento do sistema de defesa sanitária estadual. Segundo Teixeira Pinto, todas as perguntas formuladas pelos auditores foram respondidas e, mais importante, respaldadas com a entrega de documentos comprobatórios.