A Federação dos Empregados dos Correios (Fentect) e a ECT fecharam acordo para pôr fim à greve, a partir de zero hora de hoje. Os grevistas voltaram a se reunir ontem em assembléias para reavaliar a proposta feita pelo presidente do TST, ministro Vantuil Abdala, depois de 14 dos 33 sindicatos filiados à entidade terem votado pela rejeição. No final da tarde, sindicatos de 22 estados haviam votado a favor da proposta, atingindo-se o quórum mínimo necessário para o acordo.

A proposta prevê reajuste de 8,5%, retroativo a de 1.º de agosto, 7,07% referente à inflação de 6,57% pelo IPCA, 0,46% de aumento real e 1,34% a título de antecipação da referência salarial e abono linear de R$ 800,00. Em fevereiro de 2006 serão pagos os restantes 3,61% da referência.

A compensação dos dias parados – a greve teve início no dia 14 de setembro – será negociada pela empresa e o comando nacional de negociação dos empregados. Os funcionários também receberão dois vales-cestas no valor de R$ 80,00 cada e um terceiro na primeira quinzena de janeiro de 2006. O vale-alimentação foi reajustado para R$ 14,00 a partir de agosto. A empresa comprometeu-se a não punir nem retaliar os grevistas.

No Paraná, a assembléia que ia decidir o destino da greve no Paraná foi transferida para hoje. Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Paraná (Sintcom), Nilson dos Santos, a chuva atrapalhou e o cenário nacional ainda estava muito confuso. A assembléia será realizada hoje, às 9h, em frente a sede dos Correios em Curitiba.